As melhores de Almir Sater: 8 músicas pra tocar no violão

Por Thiago Fagundes

Definir quais são as melhores de Almir Sater é um desafio e tanto! Afinal, o cara é um dos maiores violeiros do Brasil. Além disso, como compositor e cancionista, está entre os nossos talentos mais raros.

Almir Sater de pé, usando chapéu e tocando viola caipira
Almir Sater é um dos artistas mais versáteis da música brasileira (Foto/Divulgação)

Desse modo, o que não falta em seu vasto repertório são canções que a galera nunca deixa de lado nas rodinhas de violão! Por isso, preparamos este post para celebrar o aniversário dessa verdadeira lenda das dez cordas.

Compilamos então aqui algumas das canções mais representativas do Almir para você tocar no violão. Afine o seu instrumento, pois temos muita música boa pra você aprender!

As melhores de Almir Sater: aprenda a tocar as inesquecíveis do violeiro

Almir Sater estreou em disco em 1981, com o já clássico LP Estradeiro. Desde então, nunca parou de produzir música e fazer shows, sendo sempre reconhecido como um dos maiores expoentes da viola caipira na música brasileira.

Sucesso de público e de crítica, sempre teve seu lado instrumentista bastante reconhecido. Tanto que tocou no Free Jazz Festival, em 1989 e gravou em Nashville (EUA), capital do country e do bluegrass.

Você pode perceber a sensibilidade desse grande amante das cordas nas canções que seguem. Certamente cada uma delas revela um pouco sobre a genialidade do músico, compositor e, sobretudo, violeiro, Almir Sater.

Cabecinha no Ombro

Antes de mais nada, esta é uma das canções de amor mais bonitas do cancioneiro popular brasileiro. Trata-se de uma obra que não peca pelo excesso. Aliás, na versão de estúdio de Cabecinha No Ombro, a instrumentação resume-se aos violões, violas caipiras, vozes e acordeon.

Trata-se de uma canção bastante simples. Sendo assim, para você tocar esta cifra, basta algum conhecimento de nível iniciante do instrumento. Para isso, dois fatores colaboram.

O primeiro é que o andamento é bastante lento e dá tempo pra trocar de acordes com mais calma. O segundo é que são apenas 4 acordes em shape aberto, ou seja, nada de pestanas. O ritmo é a tradicional guarânia dos modões sertanejos. Caso conheça a guarânia, dê uma olhada nessa videoaula abaixo.

Tocando em Frente

Escrita em parceria com Renato Teixeira, Tocando em Frente é um grande clássico, sem dúvidas. A boa notícia é que dá pra tocar esse hino, tranquilo, seja você um violonista iniciante ou intermediário.

Isso porque, na cifra, você pode escolher tocar apenas os acordes básicos e a batida que serve de acompanhamento. Para tocar a cifra simplificada de Tocando em Frente, precisará de apenas um ritmo de palhetada com um padrão bastante simples.

Caso tenha um pouco mais de prática, poderá aprender os detalhes melódicos e fraseados do violão 2 . Para se aprofundar na canção, assista a nossa videoaula exclusiva. Assim, caso queira, você aprende a tocar o arranjo completo (para dois violões) e vê em detalhes a execução correta das tablaturas da cifra.

No Rastro da Lua Cheia

A bela No Rastro da Lua Cheia é uma canção para dedilhar. Então, pode ser que você precise treinar o seu dedilhado para executar a canção. Além disso, a harmonia inclui uma quantidade e uma variedade maior de tipos de acordes. De qualquer forma, tá aí uma boa oportunidade pra você ampliar o seu vocabulário de shapes, não é mesmo?

Um Violeiro Toca

Esta canção também apresenta um elevado grau de sofisticação harmônica. Por isso, talvez os estudantes de nível iniciante se sintam menos confortáveis com a cifra de Um Violeiro Toca.

São 11 acordes, que vão dos básicos tipo o C; aos que são ligeiramente incomuns no dia a dia do iniciante, feito o D9(11). Porém, com bastante treino e concentração, rapidinho você terá tudo isso na ponta dos dedos.

Caso queira tirar em detalhes a música, inclusive com a transposição do arranjo da viola caipira para 2 violões… claro que tem videoaula!

Chalana

Antes de mais nada, ouvir essa canção sempre nos dá uma boa dose de nostalgia. Tocá-la então, nem me fale… O padrão rítmico da batida é bem fácil de executar e segue o mesmo durante toda a música. Da mesma forma, os solinhos e partes melódicas das tablaturas são bem descomplicados.

De toda forma, na videoaula do cifra, o Gustavo Fofão mostra como se toca a música Chalana em detalhes, inclusive com as partes da tablatura. Além disso, na videoaula, você já aprende a versão exclusiva do Cifra Club com a transposição das partes de viola para o violão.

Peão

A música Peão tem uma estrutura rítmica mais complicada na parte cantada do que no acompanhamento de violão. Isso acontece porque, eventualmente, os versos nas estrofes têm um flow diferente do refrão. Então, se você ainda está aprendendo a tocar e a cantar ao mesmo tempo, pode ser um bom exercício tirar essa música.

Por outro lado, os acordes são básicos e apresentam apenas algumas variações do baixo. Ou seja, nada que um iniciante não consiga “tirar de letra”.

7 Sinais

Outra canção que vai te ajudar a dominar padrão rítmico de dedilhados. Além disso, na cifra, você vai perceber a ausência de solos ou partes mais intrincadas no arranjo. Então, pode “ir na fé” que com alguma prática, 7 Sinais também estará ao alcance dos dedos do violonista iniciante.

Trem do Pantanal

A canção Trem Pantanal você também tocará com o padrão rítmico guarânia. Os acordes são maiores, menores e há também alguns com sétima maior; ou seja, nada demais. No entanto, você precisará já estar dominando as pestanas para executar direitinho a cifra.

Esperamos que este compilado com as melhores de Almir Sater tenha te inspirado a fazer essa viagem pelo repertório desse grande artista. Se gostou, não se esqueça de compartilhar com a galera que também adora tocar belas canções no violão!