10 dicas de como tocar em barzinhos

Por Fabio Teixeira

Você quer saber como tocar em barzinhos, mas não tem ideia de por onde começar? Antes de tudo, é legal que você já tenha um repertório razoável, que dê conta de algumas horas de apresentação. Além disso, você precisa estar relativamente tranquilo com a qualidade da sua apresentação, não é mesmo?

Músico apresentando um show em um barzinho
Investir nos equipamentos ideais de qualidade é fundamental para tocar em bares (Foto/Pexels)

Superada essa primeira fase, o desafio seguinte é encontrar um lugar para tocar. Inclusive, essa é a parte mais difícil do processo para muitos músicos. Afinal, depois de estudar tanto, como vender o próprio trabalho? Se esse for o seu caso, fique tranquilo. Nós aqui do Cifra Club vamos te ajudar nessa empreitada!

Como conseguir começar a tocar em barzinhos?

Neste post você vai conhecer dicas super valiosas e dos mais diversos tipos. Assim, além de falarmos em como conseguir tocar nesses espaços, vamos te dar toques sobre repertório, cachê, tempo de apresentação, equipamento e mais.

Para todos os conselhos, tenha sempre em mente que o proprietário do local precisa, em primeiro lugar, de retorno financeiro. Ou seja, a escolha do repertório, do equipamento ou mesmo seu comportamento, deve ajudá-lo a buscar esse resultado, ok? Dito isso, vamos às dicas!

1. Como montar um show para tocar em barzinhos

Como a primeira etapa do processo de saber como tocar em barzinhos, você vai precisar de um repertório com pelo menos umas duas horas e meia de duração. Para isso, uma dica é considerar cerca de quatro minutos para cada música. Em seguida, divida o tempo total em que você estará tocando por quatro e, então, saberá de quantas músicas precisa.

Ainda assim, deixe algumas canções de reserva e lembre-se de que você fará intervalos, que costumam durar entre 15 e 30 minutos cada.

2. Não esqueça sua pasta ou tablet

Se não souber tudo de cor, não tem problema. A solução para isso é levar com você uma pasta ou, de preferência, um tablet. Com ele, além de sua estética ficar mais moderna e profissional, você ganha em agilidade na hora de escolher a próxima música.

Inclusive, você encontra no mercado ótimos aplicativos para músicos, como OnSong e MobileSheets. Você precisará das versões pagas das plataformas, mas acredite: vale a pena investir.

3. Faça contatos pessoalmente

Especificamente para bares e restaurantes, o ideal, claro, é contar com alguma indicação. No entanto, se isso não for possível, a melhor opção ainda é bater de porta em porta. A abordagem também pode ser feita com envio de e-mails e mensagens nas redes sociais, mas sempre prefira o contato pessoal.

Nessa comunicação, é legal levar um cartão de visitas com aparência profissional e um portfólio para mostrar ao dono do bar. Você quer trabalhar com música, não é? Então, precisa ter seu som escutado de alguma forma. Assim, procure dar uma palhinha ao vivo ou indicar para o contratante vídeos com áudios de qualidade e voz bem afinada.

4. Capriche na divulgação

Hoje em dia, é bom que esses seus vídeos estejam nas redes sociais, especialmente YouTube e Instagram, que possuem um apelo mais visual. Com isso, um perfil bem montado, com vídeos e áudios bem gravados, fará toda a diferença nesta hora.

Depois, vale entrar em contato mais uma ou outra vez para reforçar seu interesse. Por outro lado, não seja “mala”. Isso pode até mesmo afastar um potencial contratante.

Precisa de mais sugestão de músicas para acrescentar no repertório? Então, aperte o play no vídeo abaixo:

5. Não trabalhe de graça

Primeiramente, evite tocar sem cobrar nada, ou em troca de alguma coisa de pouco valor. Leve sempre isso em conta, mesmo que você tenha um trabalho paralelo e seja apenas um músico amador.

Tenha em mente que muitos profissionais dependem da música ao vivo para pagar as contas. Em outras palavras, se você trabalhar de graça ou por valores irrisórios, certamente irá prejudicar o mercado de uma forma geral.

6. Cachê para tocar em barzinhos: como calcular?

O valor pode variar de acordo com alguns fatores. Dentre eles, sua experiência, cidade em que você mora ou mesmo a região do estabelecimento. Além disso, o cachê oscila de acordo com o número de integrantes na banda e também com os custos com estacionamento e alimentação. No entanto, o principal fator a ser observado é se você deverá levar seu equipamento ou não, caso o local já possua o necessário.

7. Veja se o couvert artístico vale a pena

Você também pode trabalhar pelo famoso couvert artístico. Certamente, ele vale a pena em alguns lugares, ainda que possa variar sazonalmente. No entanto, fique de olho, pois esse tipo de remuneração também pode ser uma grande furada. Ou seja, nesses locais, procure descobrir o número médio de frequentadores e veja a possibilidade de um cachê mínimo, caso o local fique vazio.

8. Negocie o tempo de apresentação

A maioria dos locais prefere apresentações com duração entre três e quatro horas. No entanto, especialmente para os cantores, esse é um tempo muito grande que pode prejudicar a saúde física. Em vista disso, procure ao menos negociar a distribuição e duração dos intervalos, deixando que um deles seja maior, para que você se alimente. Ah, e não se esqueça de fazer alongamentos, aquecimentos vocais e tomar bastante água. Cuidar da voz é fundamental para uma boa performance!

9. Equipamentos para tocar em barzinhos

Se você pretende tocar sozinho ou em dupla, saiba que hoje existem equipamentos excelentes de tamanho reduzido, como o amplificador AC-33-RW, da Roland. Por outro lado, é importante observar o espaço em que você irá tocar. Se o equipamento for muito pequeno, pode ser que ele não dê conta.

Esses equipamentos podem até possuir um equalizador razoável, assim como alguns efeitos, sendo excelentes para algumas situações. Mas, caso prefira um som ainda melhor, você poderá levar caixas mais potentes, como as da série Art, da RCF. Junto a elas, uma mesa de som de qualidade, como as da Yamaha. Com isso, você terá mais peso para carregar, mas ganhará e muito em qualidade de som.

10. Fique atento aos detalhes

Além dos equipamentos acima, você precisará de itens como pedestal de microfone, suportes de instrumento e de tablet, microfone e afinador, além de cordas e baterias reserva. Também não se esqueça de cabos, como P10/P10, XLR/XLR, XLR/P10 e P2/P10 para instrumentos, microfones, caixas e música ambiente. Mas não se desespere com os gastos. Vá investindo conforme suas possibilidades e comece a tocar. Antes feito do que perfeito!

Fique com mais sugestões de canções para o seu setlist no vídeo a seguir:

Compartilhe essas dicas de como tocar em barzinhos!

Agora é hora de compartilhar este post sobre como tocar em barzinhos! Envie para os amigos, especialmente os parceiros de banda, e para quem você sabe que sonha em trabalhar com música. Talvez essa pessoa encontre aqui aquela dica que faltava para levá-la ao próximo nível. Bom show!