Confira dicas de equipamentos de home studio com custo-benefício

Por Thiago Fagundes

Atualmente, a alta do dólar faz a gente pensar duas vezes antes de investir grana em qualquer coisa, não é mesmo? Pensando nisso que elaboramos este post com dicas de equipamentos de home studio com custo-benefício.

Estação de trabalho construída com equipamentos de home studio com custo-benefício
O home studio dos seus sonhos pode custar menos do que você imagina (Foto/Flickr)

Afinal, o sonho de ter um cantinho em casa pra gravar suas produções, não pode mais esperar! Confere aí!

Os melhores equipamentos de home studio com custo-benefício

A ideia é buscar opções que realmente atendam aos requisitos basilares do áudio. Em outras palavras, indicaremos equipamentos mais em conta com os quais você já possa conseguir resultados profissionais. Sem esquecer, é claro, de indicar os modelos mais em conta no mercado em cada categoria.

1. Interface de áudio

Antes de mais nada, quando se fala em interface de áudio, o ideal é que o equipamento tenha drivers decentes pra trabalhar com baixa latência. No entanto, algumas opções de modelos mais baratos ainda vão te obrigar a trabalhar com drivers genéricos. Portanto, gastar um pouquinho mais vai te salvar de maiores frustrações, acredite.

Nesse sentido, a interface Focusrite Scarlett Solo 3ª geração, por exemplo, pode ser equipamentos de home studio com custo-benefício que você precisa! Afinal, ela funciona muito bem tanto no Windows, quanto no Mac com um driver muito bem desenvolvido para ambos os sistemas.

Interface de áudio é um dos equipamentos de home studio com custo-benefício que o produtor deve procurar
Interface de áudio Focusrite Scarlett Solo é um equipamento com bom custo-benefício (Foto/Site Oficial)

Essa plaquinha permite gravar com um buffer size de 32 samples, algo em torno de 5,406 milissegundos de atraso no som. Ou seja, você não conseguirá perceber nenhuma latência. Eba! Agora é só pendurar os plugins na sua track e partir pro abraço!

Seja como for, não abra mão de comprar uma interface que grave em 24 bits de resolução de áudio. Isso é importante lembrar porque algumas placas mais baratas que essa só oferecem a obsoleta resolução máxima de 16 bits.

Outro fator importante é a qualidade dos pré-amplificadores da Scarlett Solo, que têm bastante ganho de entrada com baixíssimo piso de ruído. Não abra mão de prés de qualidade na hora de escolher sua interface, pois eles farão toda a diferença no resultado do seu trabalho.

Ah, tanto essa quanto outras interfaces de entrada oferecem como padrão dois canais. A princípio, isso é mais que o suficiente pros home studios, onde convencionalmente se grava um instrumento por vez.

O preço da Focusrite Scarlett Solo está variando entre R$ 1100,00 e R$ 1300,00 reais no mercado nacional.

Fones de referência

Infelizmente, nem todo par de fones de ouvido que você poderá usar para monitorar suas gravações ou trabalhar nas mixagens. Aliás, o ideal é contar com um sistema de monitoração de áudio que inclua uma sala acusticamente tratada e caixas de estúdio profissionais.

No entanto, esse investimento todo nem sempre é uma realidade pra quem tá começando. Mas não desanime, é possível conseguir bons resultados com equipamentos de monitoração de baixo custo também.

Começando pelos fones, é sempre bom dar preferência aos modelos de marcas especializadas em equipamentos de estúdio. Nesse sentido, assim como a Samsom e a Audio Technica, a AKG costuma ter bons fones pra mixagem e monitoração.

Geralmente, modelos com design de fundo fechado são melhores pra mixar e pra monitorar também, porque vazam menos o som no microfone. Além disso, um bom fone de estúdio precisa ter mais potência.

Fones com design de fundo fechado tendem a entregar melhores resultados nas mixagens (Foto/Freepik)

Você vai lidar com áudio não processado, logo, pode haver mais volume numa trilha ou em outra. Sem contar que você precisará ouvir com a maior definição possível cada instrumento na mix. Por isso, certifique-se de que o modelo escolhido dê conta do recado. Qualquer modelo abaixo dos 200 mW, inevitavelmente, vai te frustrar.

Do mesmo modo, é importante que seu fone tenha almofadas substituíveis. Acredite, depois de uns anos de uso, você vai querer trocá-las por novas. Isso dá uma sobrevida incrível pro equipamento.

Juntamente com a potência, a resposta de frequência é algo a se analisar também. Nesse sentido, o ideal é que o fone responda muito bem a qualquer frequência entre 20 Hz e 20 KHz.

E entre as opções mais em conta (na faixa dos RS 400,00) que atendem a esses parâmetros, poderíamos destacar o modelo AKG K52.

Microfones

Muita gente acha que começar com um microfone condensador é a melhor opção. Contudo, não é bem assim. Sabe por quê? Então, mics condensers são sensíveis demais e, por isso, não muito indicados pra usar em ambientes improvisados de home studio. E por improvisados, leia-se: sem paredes duplas e isolamento acústico.

Acredite, quando for fazer um take de violão e de voz, seu condensador vai captar muito bem esses sons. No entanto, você também terá o áudio do cachorro do vizinho e da moto passando na rua. Isso não é legal, certo?

Shure SM 57, microfone dinâmico
O tradicional Shure SM 57 é um microfone que nunca decepciona (Foto/Internet)

E em se tratando de microfone dinâmico e custo-benefício, ninguém ganha do clássico Shure SM 57.

Tudo bem, vai… vamos precisar focar mais no benefício do que no custo (porque não é tão barato), mas esse mic vale cada centavo investido. Tendo em vista sua durabilidade e qualidade, você pagará entre R$ 800,00 e R$ 1100,00 por um equipo que ficará no seu estúdio pra sempre, pense nisso.

Além do mais, você já vai começar com um equipamento que foi usado em quase todos as gravações clássicas. Não é fantástico?

Monitores de referência

Assim como os fones, não é indicado usar qualquer caixa de som pra mixar. Isso porque você precisa ouvir as frequências graves, médias e agudas da forma mais equilibrada possível. O que acontece é que aquelas caixas do sound system da sala da sua casa não servem pra isso.

Além do mais, ouvir suas mixagens em caixas apropriadas desde o início ajuda na sua evolução como produtor. Portanto, vale muito a pena investir em monitores de referência.

Aqui também as fabricantes especializadas em equipamentos de estúdio (e não de multimídia) costumam levar a melhor. E por isso vamos de Samsom MediaOne M30. Por essa faixa de preço (algo em torno de R$ 1000), dificilmente você encontrará opção melhor para seu home studio.

Monitores Samsom MediaOne M30 são equipamentos de home studio com custo-benefício
Um par de Samsom MediaOne M30 são bons monitores de referência para você começar seu home studio (Foto/Site Oficial)

Em virtude de sua potência de apenas de 20 Watts e alto falantes de 3 polegadas, essas caixinhas soam bem em ambientes menores. Além disso, elas sim são projetadas para reproduzir uma resposta de frequência mais balanceada.

De qualquer forma, sem isolação e tratamento acústico de um estúdio profissional você precisa usar caixas e fones de maneira complementar. Dessa forma, sempre cheque sua mix em ambos para ter uma referência mais próxima do ideal.

Esperamos que essas dicas sobre equipamentos custo-benefício de home studio sejam úteis pra você montar o seu set up de gravação. Por fim, dê o play e aproveite o curso de áudio gratuito, uma parceria do Cifra Club com a Shure: