8 estilos musicais brasileiros pra entender nossa cultura

Por Ayllana Ferreira

Fato é, os estilos musicais brasileiros são um patrimônio imaterial de altíssimo valor. Para além da MPB, o nosso país possuí um dos repertórios mais ricos do mundo. Em diferentes batidas, sonoridades ou, até mesmo, composições, variedades não faltam para tornar cada um dos nossos momentos inesquecíveis.

O forró é um recorte essencial da cultura brasileira (Foto/Reprodução/Internet)

Um exemplo disso é a ascensão de novos ritmos formados a partir da mistura de outros já existentes. Como o tecnobrega, sucesso em 2018, que mistura pop, eletrônica e outros elementos das músicas internacionais. Logo, nada impede, também, que vários de nossos estilos sejam combinados em uma única composição, formando algo novo e criativo.

Pensando nisso, reunimos, a seguir, 8 estilos musicais brasileiros que fazem parte da nossa história e que valem a pena conhecer! Confira!

Quantos ritmos o Brasil tem?

O Brasil é enorme! Tanto em geografia, quanto em estilos musicais brasileiros. Cada região do nosso país possui as suas peculiaridades e gêneros próprios. O choro, do Rio de Janeiro; o axé, da Bahia; ou o sertanejo, do Centro-oeste.

Vale lembrar que quando falamos de música, tratamos de variedade cultural. Afinal, o que mais é a música do que a representação de ideologias, vivências e percepções da realidade? E o que mais é o Brasil, do que a pluralidade de histórias?

Isso sem falar que vários dos nossos ritmos possuem um contexto. Por exemplo, o próprio samba já citado, que surgiu nas rodas de capoeira e nas celebrações religiosas. Ou, até mesmo, a bossa nova, que foi, no início, uma forma encontrada pelos bairros luxuosos de tocar o samba.

Quais são os estilos musicais de origem brasileira?

Assim como existe variedade em ritmo, existe, também, em tipos de estilos musicais. São mais de 25 gêneros mapeados, tendo os de origem brasileira e outros inspirados no exterior. O jazz é um exemplo disso, visto que surgiu em Nova Orleans, todavia faz parte da nossa história.
Ainda que não seja um dos nossos estilos de origem, foi adaptado a nossa realidade e marcou gerações.

Enquanto alguns estilos são de origem estrangeira, outros surgiram com o nosso país. Portanto, fazem parte de quem nós somos e da nossa ancestralidade. Isso não quer dizer que você deve amar todos eles. Menos ainda, que é menos brasileiro por não gostar.

Apenas que é preciso respeitar e entender que são o nosso legado. E aí, já tem alguma ideia de quais são os estilos musicais brasileiros que estamos falando? Veja 8 deles abaixo!

Samba

Inquestionavelmente, o samba é um dos estilos musicais brasileiros mais conhecidos, além de referência do nosso país no mundo. Inclusive, há quem diga que não é possível separar a nossa história, da história do gênero. Embora existam dúvidas sobre a sua origem, há consensos.

Por exemplo, de que o samba surgiu atrelado a escravidão. De como os batuques foram uma forma que os africanos encontraram de preservar a sua cultura. E claro, de fazer do Brasil um país seu.

Quando falamos do estilo, pensamos nos sambistas da velha guarda, nas icônicas cantoras de samba e num infinito de talentos. Afinal, o samba vem resistindo a modismos e se reinventando há mais de cem anos. Dê o play e se emocione com um recorte da cultura brasileira:

Bossa Nova

Se vamos falar do samba, certamente, precisamos tratar da bossa nova. Ainda mais porque o segundo surgiu inspirado no primeiro e influenciado, também, pelo jazz. A bossa faz parte da história do Brasil e de vários movimentos artísticos que marcaram gerações.

Fora o papel que o estilo teve em levar a música brasileira para o exterior. São vários nomes referência na área, como João Gilberto, Quarteto em Cy ou Tamba Trio. Deixamos a nossa indicação a Águas de Março, nas vozes de Elis Regina e Tom Jobin. Dois nomes essenciais para a nossa trajetória.

Choro

O choro é considerado por alguns pesquisadores como o primeiro gênero musical instrumental brasileiro. O estilo mistura a dança de salão da Europa, a música popular portuguesa e influências africanas. Tudo isso para criar um ritmo tão brasileiro, normalmente caracterizado pela alegria das composições.

Alguns dos instrumentos mais utilizados são o pandeiro, violão, cavaquinho, flauta e o bandolim. Além disso, outras de suas características marcantes são a presença do compasso binário e o estilo de frase.

Sem sombra de dúvidas, uma das composições mais conhecidas é Ô Abre Alas!, de Chiquinha Gonzaga. A canção foi eternizada nas nossas marchinhas de carnaval, que é/foi a alegria nos salões. Outros compositores memoráveis são Pixiguinha, Noel Rosa e Paulinho da Viola.

Axé

O axé music ou axé, como é mais conhecido, tem a sua origem na Bahia. Datado em 1980 durante o carnaval de Salvador, o ritmo é a mistura de vários outros estilos. Nas batidas animadas do axé, encontramos traços do frevo, ijexá, samba, entre outros.

Nas mesmas batidas, vemos a alegria e a coragem do brasileiro em composições animadíssimas. Foi só em 1985, com a canção Fricote, de Luiz Caldas, que o axé se tornou conhecido globalmente.

De lá pra cá, nomes como Chiclete com Banana, Olodum e É O Tchan ajudaram a moldar a história do estilo. Em homenagem à festa inesquecível que é um show de axé, deixamos um dueto de duas divas supremas: Ivete e Daniela Mercury.

Forró

As origens do forró datam de 1930. A sua popularização, no entanto, foi somente em 1950, na voz de Luiz Gonzaga. Sanfona, zabumba e triângulo, para muitos compositores e músicos, só é possível ter um bom forró com os três instrumentos. Afinal, esse estilo musical brasileiro é de origem nordestina.

Entre uma das definições mais aceitas, a palavra é originada do termo africano forrobodó. Diz respeito a arrasta-pé ou farra, algo que faz muito sentido para o gênero. O interessante do forró é que, da mesma forma que outros estilos musicais, alguns sub-estilo surgiram a partir dele, como:

  • xote;
  • baião;
  • embolado;
  • xaxado;
  • piseiro;
  • arrasta-pé, entre outros

Em 2009, o som eletrônico da Banda Djavú ajudou a inaugurar uma era no forró. Mas não pense que para por aí! Outros nomes que fizeram sucesso na história no Brasil e cantam forró são a Elba Ramalho, Dominguinhos, Calcinha Preta, Falamansa, entre outros.

Piseiro e Pisadinha

Barões da Pisadinha, Zé Vaqueiro ou João Gomes. Em 2021, o piseiro e a pisadinha marcaram presença com músicas que não saíram da cabeça dos brasileiros. Por mais que tenham as suas diferenças, o piseiro é uma variação da pisadinha e são tratados como sinônimo.

Em um, falamos de um estilo musical criado nos anos 2000 no interior da Bahia. No outro, de uma variação marcada pela influência do funk e do brega funk. Quando comparado ao forró tradicional, ambos se diferem por possuir uma base mais eletrônica.

Entre os destaques desse estilo, também podemos citar Tierry, Vitor Fernandes, Tarcísio do Acordeon, entre outros. Já com relação a uma composição marcante, Esquema Preferido, de Barões da Pisadinha, está entre as músicas mais tocadas de 2021.

Sertanejo

Da representação feminina no sertanejo universitário aos modões que marcaram gerações, a primeira música do estilo musical brasileiro foi lançada em 1910. Em contraponto, há quem diga que, assim como o samba, o sertanejo surgiu na colonização brasileira. Isso porque a viola, principal instrumento utilizado, chegou com os colonizadores portugueses.

Naquela época, o instrumento era um dos principais meios utilizados pelos jesuítas para a catequização dos índios. Os anos passaram e as rodas de viola mantiveram o seu propósito, com apenas algumas atualizações. Ao invés de histórias religiosas, elas se tornaram o momento para beber, comer e contar os “causos da vida”.

Nos anos 70, a música caipira se tornou parte do gênero musical para só no século XXI, o sertanejo universitário ser criado. Marcado pelas duplas tocando juntas, é impossível falar do sertanejo como um todo sem falar de Evidências, de Chitãozinho e Xororó.

Funk Carioca

O funk não é de origem brasileira. Foi trazido para o nosso país no final dos anos 70, sendo os bailes realizados na Zona Sul do Rio de Janeiro. Nesta época, os bailes funk eram como as festas eletrônicas, um DJ comandava a festa com as músicas em inglês e batidas repetidas.

No início dos anos 80, o funk carioca nasce como uma manifestação brasileira. Inspirado no Miami Bass, as letras inglesas ainda eram prioridades. No entanto, a partir da década de 1990, a Equipe Furacão 2000 surge e muda os rumos da cena. Foi nesse cenário que sugiram Latino, Claudinho e Buchecha, Catra, entre outros.

De lá pra cá, o funk carioca continuou se reinventando e influenciando batidas e quebradas. Já no século XXI, a representatividade feminina “chegou chegando” e estilo abriu portas para estrelas do calibre de Anitta, Ludmilla, Waleska, Tati Quebra Barraco, entre outras.

Compartilhe conhecimento sobre estilos musicais brasileiros!

Ao longo deste artigo, vimos como os estilos musicais brasileiros são variados. Samba, bossa nova, choro, axé, forró, piseiro e pisadinha, sertanejo ou funk carioca. Independente dos seus gostos pessoais, é inegável que todos eles fazem parte da história do nosso país.

Não só pelo que significam para a nossa cultura, como pelo que representam para a nossa população. Afinal, o povo brasileiro é como os estilos. Plural e rico em identidade.

E aí, o que achou do conteúdo? Compartilhe nas suas redes sociais e nos conte a sua opinião!