Guitarra de dois braços: conheça os segredos dessa lenda do rock

Por Thiago Fagundes

Sabe aquela track de rock clássica, com vários sons de guitarra diferentes? Então, imagine um instrumento que possibilite tocá-la com riqueza de detalhes no palco. Estamos falando da lendária guitarra de dois braços! 

Jimmy Page, com sua guitarra de dois braços, durante performance arrebatadora do Led Zeppelin
Jimmy Page é um dos guitarristas mais associados ao modelo de guitarra de dois braços (Foto/Divulgação)

Esse incrível modelo atravessou décadas sendo usado em baladas clássicas do rock.Neste post, vamos falar um pouco sobre essa guitarra que é um verdadeiro ícone do gênero. 

Acompanhe!

Qual é o nome da guitarra de dois braços?

A guitarra de dois braços é simplesmente chamada de “double neck guitar”. No entanto, o modelo clássico desse folclórico instrumento, aquele que Jimmy Page usa em Stairway to Heaven, é precisamente a Gibson EDS-1275.

Quem inventou a guitarra de dois braços?

A double neck guitar foi criada em 1962, pela Gibson. Trata-se de uma guitarra (aliás, duas em uma) de corpo sólido baseado nas SG. Um dos pioneiros da guitarra de dois braços foi o músico Earl Hooker, lenda do blues de Chicago, que usou o instrumento ainda nos anos 60.

Earl Hooker com uma guitarra de dois braços, na capa do disco 2 Bugs and Roach
Em disco lançado em 1969, Earl Hooker, mestre do blues, toca com uma guitarra de dois braços (Foto/Internet)

O primeiro protótipo de Gibson double neck, batizado de ES-175, tinha os dois braços em um único corpo acústico. Ao passo que a versão clássica (EDS-175) trazia o sistema de captação e elétrica independente em dois blocos sólidos colados. Dessa forma, com uma chave seletora, você escolhe entre a guitarra de cima (12 cordas) e a de baixo (6 cordas).

Além da chave seletora principal, o esquema elétrico dessa guita é baseado nas SG’s e na Les Paul’s. Ou seja: dois botões de volume, dois de tone, dois humbuckers e chave seletora de 3 posições. Sem falar na escolha das madeiras, que segue também o mesmo padrão (em mogno) desses modelos.

Quanto custa uma guitarra de dois braços?

A esta altura você deve ter sacado que estamos falando de um instrumento caríssimo, não é mesmo? Então, sim… a EDS-1275 é modelo Custom Shop da Gibson. Atualmente, essa guitarra é comercializada pela “bagatela” de 6,499.00 dólares, algo em torno de 36.517,88 reais – na cotação atual.

 G-1275, da Epiphone, na cora branca, guitarra de dois braços da Epiphone
A G-1275, da Epiphone, é um bom instrumento de entrada para quem busca a primeira double neck (Foto/Divulgação)

No entanto, há uma opção mais barata para quem sonha com uma guitarra de dois braços, mas não pode gastar toda essa grana. Estamos falando do modelo G-1275, da Epiphone (subsidiária da Gibson). Esta guita tem especificações e design muito similar à EDS-1275, mas custa entre 7.000 e 8.000 reais – na cotação atual.

Como é a afinação de uma guitarra de dois braços?

A afinação desse modelo segue a mesma lógica das guitarras de 6 e 12 cordas. Ou seja: por padrão, as cordas afinam nas notas Mi, Si, Sol, Ré, Lá e Mi.

No braço com 12 cordas, cada uma das notas tem uma dobra mais aguda em uma corda bem fininha. Essas cordas finas (as seis extras) são afinadas na mesma nota que as cordas principais, só que uma oitava acima. Apenas as cordas Si e Mi extras são afinadas na mesma oitava.

Steve Miller com sua Gibson de dois braços, em 1977
O mestre Steve Miller também é um ícone da guitarra de dois braços (Foto/Divulgação)

Claro que além desse padrão, é possível explorar infinitas possibilidades de afinações alternativas em uma guitarra de dois braços. Sendo assim, você pode explorar afinações em acordes abertos, DADGAD e tantos outros padrões com uma double neck. 

Falando nisso, se quiser saber mais sobre o assunto, temos um conteúdo exclusivo sobre afinações alternativas neste post.

Para que serve a guitarra de dois braços?

O instrumento de 12 cordas é semelhante à viola caipira e ao bandolim, pois usa aquela lógica do som oitavado em cada corda. Isso dá um timbre mais rico e preenchido para dedilhados e partes com maior ênfase em acordes e arpejos.

No entanto, a tensão que o dobro de cordas exerce sobre o braço é maior, o que dificulta a execução de solos, riffs com harmônicos e bends.

Então, é aí que entra a double neck! Com ela, você pode tocar partes harmônicas (dedilhados) nas 12 cordas e melódicas (solos e riffs) nas 6. Não é fantástico?

Músicas icônicas com double neck

Agora, vamos relembrar alguns clássicos imortalizados por uma guitarra de dois braços.

Stairway to Heaven – Led Zeppelin

Quando se pensa em guitarra double neck, a primeira imagem que vem à cabeça é o Led ao vivo. Já que vários clássicos da banda são tocados com a EDS-1275 cor cereja de Jimmy Page.

Em Stairway to Heaven, Page aproveita para ampliar as texturas das partes harmônicas da canção alternando entre os dois braços da double neck. Esse recurso é interessante, principalmente para bandas com apenas um guitarrista.

No vídeo abaixo, você confere momentos de uma a performance ao vivo deste clássico do Led, claro, com a double neck:

Hotel California – Eagles

Outro guitarrista que contribuiu para deixar a marca indelével da Gibson double neck na história do rock foi Don Felder, dos Eagles. Em Hotel Califórnia, por exemplo, o guitarrista segue a fórmula eternizada por Page, mas usa um capotraste para modular suas partes de 12 cordas.

No vídeo abaixo, você pode sacar a versatilidade desse instrumento nessa fantástica canção:

Xanadu – Rush

Nessa track “viajandona”, tanto Alex Lifeson quanto Geddy Lee usam instrumentos de dois braços. Aliás, os instrumentos com múltiplos braços eram muito comuns no prog rock desta época.

No caso do Rush, o double neck é usado para ampliar as possibilidades do trio, dando mais opções de timbres e afinações para composições mais complexas serem executadas no palco.

Você pode conferir no vídeo abaixo Alex Lifeson quebrando tudo com sua Gibson EDS-1275 branca! Repare também no baixo/guitarra de dois braços modelo Rickenbacker 4080 que o baixista Geddy Lee usa nessa apresentação.

Knockin’ On Heaven’s Door – Guns N’ Roses

Knockin’ On Heaven’s Door, de Bob Dylan, na sua reinterpretação pelos Guns N’ Roses é outro exemplo da incrível versatilidade dos dois braços.

Nessa música, Slash aproveita as 12 para executar os dedilhados mais atmosféricos e as partes com chorus, ao passo que detona um de seus solos mais inspirados no braço de 6 de sua Gibson EDS-1275.

Aliás, vale lembrar que Slash é um grande aficionado por esse modelo. Sim, ele comprou sua primeira EDS-1275 em 1990 e, desde então, fez deste instrumento parte indispensável de seu arsenal de guitarras.

Confira o chapeleiro maluco detonando Knockin’ On Heaven’s Door ao vivo com sua EDS-1275 preta:

Para homenagear esse ídolo e sua paixão pelas double neck’s, a Gibson lançou um modelo custom shop assinado pelo guitarrista. O instrumento tem as exatas especificações e relicagem de sua guitarra original. No vídeo a seguir você confere a promo desse lançamento:

Esperamos que você tenha viajado nesse texto sobre um dos instrumentos mais fantásticos de todos os tempos: a guitarra de dois braços. Não se esqueça de compartilhar o post com sua galera que também curte guitarras e rock and roll.  

See you later, kids!