Produtor musical: o que ele faz e como se tornar um?

Por Fabio Teixeira

Muita gente não faz ideia de qual é a função de um produtor musical. A verdade é que muitas vezes ele é tão importante quanto o próprio artista no resultado e no sucesso de uma canção. É isso o que você vai descobrir neste artigo, além de entender o que é preciso para se tornar um profissional da área.

O produtor musical George Martin durante sessão de gravação com os Beatles.
O produtor musical George Martin (ao centro) ensinou muita coisa aos Beatles (Foto/Internet)

Você já ouviu falar, por exemplo, no quinto Beatle? Esse título é muitas vezes atribuído ao produtor dos garotos de Liverpool, George Martin. Isso porque seu trabalho foi bastante relevante para o sucesso do grupo. Foi ele, por exemplo, quem sugeriu que a canção Please, Please Me tivesse um andamento mais rápido, alteração fundamental para o sucesso da obra. Martin também fez a orquestração das músicas Eleonor Rigby e Yesterday.

Neste artigo, você conhece um pouco mais sobre a beleza que há no trabalho de um produtor musical.

O que faz um produtor musical?

As funções de um produtor são inúmeras. Já no desenvolvimento de uma composição, ele pode auxiliar os autores com o acabamento da melodia, da letra e na escolha dos acordes. Caso o artista que ele estiver produzindo já tenha isso pronto, o profissional ainda tem muito trabalho pela frente. Pode, por exemplo, auxiliar na escolha dos equipamentos da gravação, ajudar a fazer os arranjos, além de várias outras coisas que orientem a equipe

Produtor musical sentado à mesa de som em estúdio de gravação
O trabalho de um produtor musical é essencial para os processos de gravação (Foto/Pexels-RODNAE Productions)

Quando a canção começa a ser gravada, é ele quem toma várias decisões. Indica se aquele solo deve ser de guitarra ou de gaita, se aquele vocal precisa ser mais agressivo ou mais delicado… O produtor pode também, dar orientações sobre andamento, mapa da música, forma de execução dos instrumentos, etc. Enfim, é ele quem direciona e comanda todo o trabalho de gravação.

Do que preciso para ser um produtor musical?

O produtor precisa, antes de tudo, ter escutado muita música, conhecendo estilos diferentes e evitando preconceitos. Nessas audições, deve analisar os arranjos, os instrumentos que costumam ser utilizados em cada um dos gêneros musicais, perceber como cada um deles soa, etc.

Produtor musical orientando posicionamento de microfone para gravação de voz
A produção musical vai além da cabine de operação da mesa de som (Foto/Pexels-RODNAE Productions)

Além disso, é legal que ele conheça ao menos um pouco de teoria musical e características dos instrumentos. Seu trabalho será mais fácil, por exemplo, se ele souber a tessitura daquele trompete ou daquele violino que gostaria de colocar na música. É relevante também, o conhecimento em outros assuntos como áudio, tipos de microfones, técnicas de microfonação, diferenças entre mesas de som e noções de acústica.

Também é função do produtor orientar seus clientes sobre como sua música deve soar para o mercado em que ele pretende atuar. Ou seja, o profissional da área deve conhecer bastante sobre o perfil do público do artista e como chegar até ele. Esse ouvinte costuma gostar de refrões animados ou mais melancólicos? De vozes mais graves ou mais agudas? É mais importante destacar o som do baixo ou manter um nível maior de discrição?

Produtor musical orientando microfonação de violino
O produtor musical precisa ter jogo de cintura para lidar com o trabalho (Foto/Pexels-RODNAE Productions)

Mais um exemplo de conhecimento fundamental para o produtor musical nos dias atuais é o processo de mixagem. Mesmo que um engenheiro de áudio esteja disponível, o produtor precisa ao menos ter facilidade em dialogar com este outro profissional. Em outras palavras, é legal que ele saiba ao menos um pouco sobre como aplicar um reverb, usar compressores, equalizadores, afinar uma voz digitalmente, etc.

Pau pra toda obra

Atualmente, no entanto, é comum que o próprio artista seja o produtor de si mesmo. Com o advento e praticidades dos home studios, muitos são aqueles que tocam, cantam, produzem e até lançam seu próprio trabalho. Ao mesmo tempo em que isso gera produções de baixa qualidade, produz também canções caseiras com resultados tão bons quanto os de muitos estúdios tradicionais.

O produtor musical precisa estar pronto para assumir mais de uma tarefa (Foto/Pexels-RODNAE Productions)

Um exemplo atual de como é possível fazer um bom disco em home studio e com poucas pessoas envolvidas, vem do premiado produtor Finneas O’Connell. O americano é o responsável pela produção do álbum de estreia da irmã Billie Eilish, intitulado When We All Fall Asleep, Where Do We Go?. A produção foi feita na casa deles e sua qualidade impressiona. Vocais bem microfonados e equilibrados, além de graves destacados e bem definidos, são alguns dos ingredientes que valorizam o trabalho de Finneas.

Mas, ainda que uma só pessoa possa exercer muitas funções com qualidade, isso não deve desvalorizar a importância do produtor especializado tão cedo. Muitas vezes seu conhecimento mais aprofundado, experiência e relacionamento com o mercado musical são fundamentais para aquele “tiro certeiro” no resultado que se pretende atingir. Boa parte das músicas que ouvimos nas rádios tem a participação de um produtor contratado especificamente para a função

Cursos para quem quer ser um produtor musical

A quantidade de cursos oferecidos é grande (muitos de forma online), mas é fundamental que eles sejam complementares a tudo o que foi exposto acima. Como você pôde perceber, é necessário vivenciar muitas coisas para trabalhar na área. De todo modo, é indiscutível que as aulas podem ajudar bastante.

Produtor musical operando mesa de som, durante gravação
Para trabalhar com produção musical, é preciso estudar bastante (Foto/Pexels-RODNAE Productions)

Por falar nisso, o Cifra Club tem um curso sobre áudio totalmente gratuito em parceria com a empresa americana Shure. Como você viu anteriormente, é fundamental que o produtor conheça bastante sobre o tema. O curso possui uma linguagem bem amigável e as explicações são ilustradas cuidadosamente, num estilo bem agradável de acompanhar. A primeira aula fala sobre o glossário do áudio, ponto de partida para qualquer um que queira entrar nesse universo. Não deixe de conhecer!