Ritmos Latinos: a diversidade musical das Américas

Por Luís Lobato

Quando o assunto é música, os ritmos latinos assumem logo uma posição de destaque entre os mais diversos estilos do mundo. Os ritmos criados nas Américas surgiram através da junção de aspectos da cultura artística de outras regiões do planeta, como África e Europa, e hoje contam com artistas incríveis que os representam.

Astor Piazzola, histórico músico de tango, se apresentando com concertina
A beleza dos ritmos latinos também se encontra no talento do argentino Astor Piazzolla, um dos maiores expoentes da história do tango (Foto/Reprodução/Internet)

A pluralidade e variações de ritmos latinos são tantas que chega a ser impossível explicar num só artigo todos os detalhes que compõem cada um deles. Mas que tal dar uma breve sacada na história dos principais e mais populares?

6 ritmos latinos para você conhecer

Sim, é claro que o Brasil também faz parte desse suco de diversidade que é a cultura da América Latina, mas aqui focaremos nos outros países do continente. Isso porque os estilos musicais brasileiros já foram abordados em outro material e são um destaque à parte. Dito isto, você está pronto pra saber tudo sobre os principais ritmos latinos? Então, lá vamos nós!

Bachata

A bachata é um ritmo latino híbrido do bolero (que será falado mais à frente), oriundo da República Dominicana. Popularizada na década de 60, tem como principal característica sonora e rítmica o uso de instrumentos percussivos, como o bongô.

O violão também está muito presente e, juntamente com a güira (um cilindro de metal percussivo), compõe a estrutura tradicional sonora deste estilo musical. Confira a canção Propuesta Indecente, de Romeo Santos, estadunidense com ascendência porto-riquenha, também conhecido como Rei da Bachata:

No Brasil, a bachata tem sido bastante incorporada no sertanejo universitário. Artistas como Marília Mendonça e Eduardo Costa já a utilizaram em diversas músicas. Um ótimo exemplo desse ritmo no sertanejo atual é na faixa Milu, do Gusttavo Lima.

Cumbia

Com origens na Colômbia, a cumbia se tornou bastante popular nos demais países hispano-americanos, principalmente México e Argentina, a partir da década de 1940. Derivado da palavra africana “cumbé” (festa), tal gênero musical é considerado “la reina de los ritmos afrocaribeños“, ou seja, a rainha da música latina.

Tradicionalmente, a cumbia é uma música instrumental composta, principalmente, por um conjunto de tambores (africanos), como a tambora, o chamador e o alegre. Além da percussão, o estilo é marcado por instrumentos de sopro, que são, na maioria das vezes, responsáveis por reproduzir a parte melódica das obras.

O colombiano José Barros é um dos principais responsáveis por apresentar e expandir o ritmo dançante para o mundo. Dê o play a seguir e confira Navidad Negra, maravilhosa canção do músico.

Antes um estilo apenas de música instrumental, a cumbia foi, cada vez mais, sendo incorporada a outros gêneros, se modernizando com o tempo. Podemos notar essa evolução, por exemplo, na música Cumbia da Praia, da banda pernambucana Academia da Berlinda.

Reggaeton

O reggaeton, ritmo que se popularizou na década de 80, é influenciado, principalmente, pelo reggae, pela salsa e pelo hip-hop. É um estilo musical que surgiu no meio underground de Panamá e Porto Rico, criado, inicialmente, nas periferias desses países. No início, era conhecido apenas como uma simples variante do rap, utilizando uma batida jamaicana já conhecida, o dembow.

Foi em Porto Rico que o ritmo se popularizou pra valer e conseguiu migrar para outros países. A partir disso, passou a ser reconhecido como uma música original e única. Foi essa migração, juntamente com muito esforço de vários produtores latinos, que fez com que o reggaeton conseguisse alcançar um sucesso global. Uma música que marcou essa ascensão do gênero foi Gasolina, do cantor Daddy Yankee.

Tango

Além de ser uma famosa dança, o tango é também um dos ritmos mais populares da América Latina e um dos símbolos culturais da Argentina, país onde foi criado. Nascido ali nas regiões de Buenos Aires e Montevidéu, o tango é um ritmo que tem como característica o compasso de dois por quatro.

O estilo é marcado também por uma certa melancolia, geralmente acentuada pela presença de acordes menores em sua estrutura harmônica. O bandoneón é um dos instrumentos mais tradicionais para se tocar tango. Ele se parece bastante com uma concertina, ou seja, um pequeno acordeão.

Astor Piazzolla é um dos principais compositores do estilo desde a metade do século XX. Ele é conhecido por inovar e expandir a sonoridade do ritmo argentino. No vídeo abaixo, é possível assistir ao mestre Piazzolla em ação, tocando uma de suas composições mais famosas, Adios Nonino. Dê só uma olha:

Carlos Gardel foi outro ícone responsável por popularizar o ritmo. Além da carreira musical, o cantor marcou presença também no cinema. No filme Tango Bar, ele interpreta belamente um clássico autoral do cancioneiro argentino, a música Por Una Cabeza. Trata-se de um dos tangos mais conhecidos mundialmente. Confira:

Bolero

Agora é a vez de Cuba apresentar o seu ritmo musical mais famoso, o bolero. Apesar de sua origem no país da América Central, esse tradicional gênero latino é conhecido como “canção romântica mexicana”.

O primeiro bolero, chamado Tristezas, surgiu ainda no século XIV, interpretado na voz do cantor Pepe Sánchez. Confira aqui como é romântica e apaixonante a melodia deste clássico:

Essa música foi um grande sucesso no México, e não demorou muito para que ela se espalhasse pelos outros países do continente americano. Com o passar do tempo, o bolero foi ficando cada vez mais lento e utilizando temas ainda mais românticos.

Besame Mucho talvez seja um dos mais famosos exemplos disso. A música já foi interpretada por vários artistas renomados, como Frank Sinatra, João Gilberto e até mesmo os Beatles.

Corrido

O corrido é um estilo musical mexicano que desempenhou um grande papel na história social do país. Criado no século XVIII, nasceu com a função de contar as histórias de vitórias e derrotas da Revolução Mexicana, através de ritmo e melodia marcantes.

Porém o ritmo também se tornou uma forma de homenagear os grandes traficantes das regiões mexicanas e colombianas. Com isso, foi originada a vertente conhecida como narcocorrido. Na série Breaking Bad, uma das canções mais tradicionais do subgênero, Negro Y Azul, é interpretada durante uma cena de abertura.

Os instrumentos típicos do corrido são os de corda, como violão, guitarra e violino. Além desses, o trombone e o acordeão também caracterizam e compõem o estilo.

No Brasil, a dupla sertaneja Milionário e José Rico foi fortemente influenciada por esse estilo musical. Sua forma de narrar e cantar as letras é muito ligada às essências mexicanas. Saca só a canção O Tropeiro e veja as semelhanças!

Atualmente, Gerardo Ortíz é um dos grandes expoentes do estilo e vem acumulando uma série de prêmios com o hit El Mundo Es Tuyo. Trata-se de um excelente representante do corrido contemporâneo.

Compartilhe o aprendizado sobre os ritmos latinos!

Se você curtiu este post, não deixe de mandar para os amigos e também de continuar acompanhando todas as outras postagens do Cifra Club!

Sempre trazemos um monte de informações e histórias sobre os mais diversos estilos musicais ao redor do mundo, que ampliarão ainda mais o seu conhecimento e incrementarão o seu gosto musical.