RPM mergulha na onda revival dos anos 80

Por Ruben Almeida

Depois de doze anos, uma das maiores bandas de rock do Brasil está de volta.
   
O RPM está lançando este mês o MTV RPM 2002, gravado em março , no teatro Procópio Ferreira, em São Paulo. Apesar do show ter sido considerado por alguns sem empolgação, a banda formada por Paulo Ricardo (baixo e voz), Luiz Schiavon (teclados), Paulo Pagni (bateria) e Fernando Deluqui (guitarra) considera este o momento ideal para o ressurgimento do grupo. E assim como outras bandas que fizeram sucesso na década de oitenta, retomando a rotina de shows, gravações e músicas executadas nas rádios, o RPM espera agradar aos fãs mais antigos, da época em que estouraram no Brasil inteiro, como também conquistar um novo público, que estava nascendo ou engatinhado naquela época.


RPM 2002 
   Além dos hits “Olhar 43”, “Revoluções por Minuto”, “Louras Geladas”,
“London London”, “Alvorada Voraz” – que levou o ex-prefeito Paulo Maluf a mover uma ação de indenização por danos morais contra a banda – os fãs poderão encontrar também “Exagerado”, de Cazuza e “A Cruz e a Espada”, onde a voz de Renato Russo aparece. O álbum, que chega as lojas este mês, apresenta ainda, cinco canções inéditas.

    “É uma sensação parecida com a de quando nos unimos pela primeira vez para formar o grupo e sequer imaginávamos o sucesso que iríamos fazer”, disse Deluqui em entrevista coletiva na sede da gravadora Universal Music. Tomara que não só a sensação seja a mesma dos velhos tempos, mas também, que o sucesso se repita.