Tipos de guitarra para iniciantes: encontre o instrumento ideal

Por Thiago Fagundes

Eis um post voltado para pessoas (de 8 ou 80 anos) que decidiram fazer parte do mundo das seis cordas. Como não poderia ser diferente, a escolha ideal dos tipos de guitarra para iniciantes é um dilema.

A stratocaster é um dos tipos de guitarra ideais para iniciantes
A escolha do instrumento tende a ser a primeira dificuldade encontrada na jornada de um guitarrista (Foto/Pexels)

Será que vale a pena começar com uma Les Paul? E que tal aquela Stratocaster? E é aí que entra o nosso guia definitivo para comprar a primeira guitarra!

Os melhores tipos de guitarras para iniciantes

Primeiramente, apresentaremos os modelos mais clássicos de guitarras, focando no que cada um tem a oferecer. Além disso, indicaremos instrumentos de entrada, disponíveis no mercado nacional, e com boa relação custo/benefício.

Afinal, se você está começando a tocar, não há motivos para investir numa guitarra custom shop. Por fim, daremos também algumas dicas técnicas para avaliar bem o instrumento escolhido na hora da compra.

Stratocaster

A stratocaster é uma guitarra versátil, ou seja, dá pra tocar quase tudo com ela. Imortalizada nas mãos de Jimmy Hendrix, Eric Clapton, por exemplo, esse modelo é o preferido de quem está começando.

Normalmente, as stratos vêm com três captadores single coils (SSS) e chave seletora de 5 posições, mas há também opções com captador hambucker na posição da ponte (HSS). Estes têm bobina dupla e apresentam menos ruído e um som mais encorpado. Já os single coils entregam um timbre mais twang e clássico das stratos.

Stratocaster é uma guitarra indicada para a maioria dos iniciantes (Reprodução/Site Oficial)

A Fender Squier Mainstream Stratocaster vem com um hardware confiável, que segura bem a afinação. Além disso, pagando algo em torno de mil reais (entre R$950,00 a R $1150,00), você já começa com um instrumento by Fender!

Telecaster

As teles são um pouco menos versáteis. Elas têm um timbre mais estalado (twang) e são as queridinhas da galera que curte sons mais vintages. Por entregarem um som menos encorpado, não são guitarras mais indicadas para quem gosta de distorção high gain.

Apesar disso, a telecaster não deixa de ser um ótimo instrumento para iniciantes. Elas são tipos de guitarras que vão direto ao ponto: dois captadores, um controle de volume e outro de tonalidade. Essa objetividade descomplica a questão da timbragem.

Telecaster é para o guitarrista que gosta de blues, country e sons vintage (Foto/Site Oficial)

O modelo Woodstock Tw55, da Tagima, é uma boa opção de compra entre as teles mais acessíveis (entre R $920,00 a R $1150,00). Ainda mais que as guitarras dessa marca passam pela supervisão do renomado luthier Márcio Zaganin, por isso são instrumentos confiáveis e de excelente qualidade.

Les Paul – um dos tipos de guitarra mais clássicos

A Les Paul tem um timbre mais encorpado quando distorcida e bastante aveludado e rico em graves com o sinal limpo. É um instrumento que acaba sendo um pouco mais pesado também (por conta das madeiras mais densas de sua construção).

Ao tocar com essa guitarra, temos a impressão de que é mais fácil tirar sons encorpados. Isso porque os captadores, hambuckers, costumam ter saída mais alta. Esse modelo de captação e o modo de encaixe (colado) do corpo com o braço, acabam entregando mais sustain.

Caso seja fã dos solos do Slash, talvez a Les Paul deva ser mesmo sua primeira guitarra! Nesse caso, o modelo Gm750, da marca Michael, pode ser interessante pelo preço em conta (entre R $1300,00 a R $1500,00) e pela construção mais sólida. Confira um review dessa guitarra

SG (Solid Guitar)

O som desse instrumento tem suas semelhanças com a Les Paul. Certamente por causa da semelhança entre os dois modelos quanto aos captadores, a esquemática elétrica e o tipo de madeira.

Entretanto, a SG costuma ser mais leve e oferece ao guitarrista um acesso mais facilitado às últimas casas da escala, por causa do double cutaway.

A SG é uma guitarra voltada para a turma do rock pesado (Foto/Site Oficial)

As SG acabaram ficando eternizadas nos riffs poderosos de lendas do hard rock setentista, Tony Iommi e Angus Young. Sem dúvida, esse é um instrumento com muito punch e sustain para você já começar fazendo um som pesado!

Se essa é a sua praia, há boas opções no mercado com preços atrativos (entre R $1600,00 e R $1700,00). Por exemplo, a Hammer Gm850n Bk, da marca Michael, que ao contrário de outros modelos de entrada, tem o braço colado ao corpo (alguns modelos mais baratos têm o braço parafusado, o que descaracteriza a SG).

Semi-acústica

Esse modelo é interessante para quem está começando porque oferece o melhor dois mundos: o acústico e o elétrico.

A semi-acústica é uma guitarra mais cara, mas que entrega bastante versatilidade (Foto/Site Oficial)

Os tipos de guitarra semi-acústicas são tradicionalmente construídas com uma peça de madeira sólida no meio (que compreende a base do corpo e o braço) envolta em duas caixas de propagação acústica laterais. A parte sólida é onde se localizam os captadores, geralmente hambuckers, já nessas partes laterais do corpo tem aberturas por onde sai o som acústico. 

Apesar de ter um som mais fechado e rico em médios/graves, esse tipo de guitarra pode ser um instrumento versátil. Logo, é muito comum entre guitarristas de MPB e do rock.

Entre as semi-acústicas de entrada mais interessantes, destaca-se o modelo Sattle, da Tagima, cujos preços estão variando entre R $1600,00 e R $2500,00.

Dicas para comprar sua primeira guitarra

Então, já escolheu o modelo? Agora, vamos dar dicas técnicas para você fazer uma boa compra.

Loja de instrumentos exibe os mais variados tipos de guitarra elétrica
Não saia de uma loja sem observar os tipos de guitarra que mais te agradam (Foto/Internet)

Atualmente, as marcas mais populares oferecem guitarras de entrada com um padrão aceitável de qualidade. Para não errar na primeira compra, lembre-se de checar os seguintes itens:

Componentes eletrônicos

Peça ao vendedor para ligar a guitarra e verifique se não acontecem “pipocos” quando você girar os knobs ou movimentar a chave seletora de captadores. Verifique também se o jack de entrada não está dando mau contato.

Preste atenção se há falhas, rebarbas ou folgas nos encaixes e inlays do instrumento. Observe se os trastes estão bem colocados e se não há ferrugens ou oxidações nas partes metálicas do hardware. Além disso, repare na qualidade da pintura.

Se possível, peça a um músico mais experiente que avalie a guitarra. Sabe aquele seu amigo ou familiar que já toca há mais tempo? Então, essa pessoa é a ideal para analisar o instrumento. Por fim, mas não menos importante: leve sua guitar em um luthier de confiança. Afinal, o parecer técnico sempre é importante.

Curso de guitarra do Cifra Club Academy

Agora que você já escolheu sua guitarra, vamos para a jornada do aprendizado musical! Para seguir no caminho certo, você também pode contar com o Cifra Club Academy! Trata-se de um ambiente cheio de conteúdos incríveis, que vão te ajudar a manter uma rotina bem direcionada de treinos e estudos.

O curso de guitarra, inclusive, foi desenvolvido para formar guitarristas completos.

Bend up!