Crack, Cachimbo, Caixão

Conexão Do Morro

Caminhando pelo gueto eu necessito 
de um auxilio,
passei pela viela e escutei, pa pa 
pa pum pa, tiros,
rajadas, choro de mãe desesperada, e
 uns malucos no
carango com uma nove na mão, caralho
 ai fudeu. vida
suburbana retrato do brasil, vida 
suburbana quem te
viu quem te vê bacana, vida 
suburbana retrato do
brasil, e essa é a nossa vida 
suburbana, vida
suburbana retrato do brasil, vida 
suburbana quem te
viu quem te vê bacana, vida 
suburbana cheio da grana.

Tiros e mais tiros foram dados 
naquela esquina, todos
entram para a casa e rezam [pois 
essa é a nossa cina],
cinco e meia da tarde esta chovendo 
muito forte, mas a
chuva não impede que aconteça mais 
uma morte, depois
que a chuva parou e sai fora o 
cachorrão me avisou,
esta vendo aquela renca de gente, 
estou vendo foi
quando de repente eu me liguei, 
minha cabeça funcionou
eu me lembrei daqueles tiros que 
escutei, mas e ai foi
dessa vez, foi um patrício que 
devia, um abraço hoje
foi o seu dia, é mano a vida 
suburbana é assim, falou
de mais um abraço, temos que dormir 
com um olho aberto
e o outro fechado, ou então os dois 
se fecham para
sempre, morro do piolho, caralho que quebrada quente, a febre das drogas dominam as favelas, até a policia que se diz ser um órgão competente, eu já vi na quebrada atrás de uma peteca afim de da um shiiiiii, eles recebem benemérito, por mortes de pessoas a te mesmo inocentes a policia leva o titulo de órgão competente, temos evidencia que eles são o senhores violência, por tua carapuça esta lançada, olha aqueles manos ali estão trocando porrada, vamos separar aquela briga, parou a confusão um sai dizendo tá fudido vou lá buscar o meu canhão, o outro simplesmente foi pra casa, raspou um pouco ai ficou preparado, o locke não veio é um comedia otário, depois os dois se trombaram o mano começou a falar, então bandido cadê o oitão, ?tá me tirando? um abraço sem perdão, o mano foi no enterro do locke, descarregou uma glock no troxa dentro do caixão e essa é a nossa vida suburbana Refrão: vida suburbana retrato do brasil(2x) vida suburbana retrato do brasil(2x) E acontece o pior pesadelo urbano, ontem só pra varia morreu mais um fulano, pesadelo urbano, em que tiros, metralhadoras, em tiros disparados, aqui ninguém num vê nada, ninguém viu, ninguém escuta nada, mulheres reclamam da violência do bairro em que vivem, reclamam da miséria, mas o que fazer mesmo que trabalham dobrado, seu dia nunca é compensado, pobre miseráveis vão morrer na periferia muitos roubam pra sobreviver, assim sempre foi, assim sempre vai ser, a violência só tende crescer, antes de morrer quis se arrepender, pois eu cachorrão nasci aqui se o meu destino for esse, aqui eu vou morrer não devo nada pra ninguém, eu saio eu entro aonde eu quero, sempre fui respeitado levo tudo a serio, aqui minha pessoa é considerada, morro do pilho não é brincadeira é bom abrir o olho, a maioria se fudendo a vida inteira, não posso vacilar minha imagem pode queimar o tempo-po-po, pode até fechar a vida suburbana à violência vem como seqüência se todos pensassem tivessem inteligência puta que pariu a verdade é essa Refrão: vida suburbana retrato do brasil(2x) vida suburbana retrato do brasil(2x)
Composição: Cachorrão / Mano Cobra / MudãoColaboração e revisão: Camila

Utilizamos cookies para personalizar sua experiência. Ao acessar o site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.