A Tua Boca

Fagner

A
123
X02220
A7
12
X02020
C
123
X32010
D#
234
X65343
D7
123
XX0212
Dm
123
XX0231
Gm
34
355333
Tom: G
Intro: (Dm) Gm Dm D# A Dm

 Dm
Não é veneno a tua boca                 |
        A                               |
Quando chama a luz do dia               |
         Gm                              |
Quando diz que a chama é pouca          |
        Dm                               |(2X Vezes)
Quando ama tão vadia                    |
    D7                                   |
Se reclama ser tão pouca                | 
         Gm                              |
A outra boca que esvazia                |
         Dm                              |
Quando beija ou abandona                |
         A7                          Dm  |
Quando clama entre as chamas Quando chia| 
 
 D7
Quando pia entre as ramas   |
         Gm                  |
Quando adoça é como ardia   | 
        C                    |
Não é veneno quando mata    |
        F                    | (2x Vezes)
Quando salva e quando adia  | 
         Dm                  |
Quando louca                |
                   A7       |
Não é veneno a tua boca     |
                   Dm        |
Quando é coisa de magia     | 

Dm
Quando cobra que se enrosca 
        A7
Quando água que se afoga
                 Dm
Quando forca que alivia

Solo(Dm) Gm Dm D# A Dm  (Repete tudo)
         Dm
Quando louca              |        
                   A7     |
Não é veneno a tua boca   | (Final)
                   Dm      |
Quando é coisa de magia   | 

Solo(Dm) Gm Dm D# A Dm
Composição: Fagner, Capinan e Zeca Baleiro Colaboração e revisão: Francisco Souza