Interlúdio (Paixão)

Flora Matos

Ela nasce quando a gente menos espera Bate na porta do coração sem ver onde a guerra te leva Pudera, ela é a mais bela donzela Qualquer plano, seja qual for o tamanho, cancela Porque ela manda, desmanda na vida Daquela ou daquele que já a quizera em alguma época de férias São sérias as coisas que contam por lá e são belas Perto dela qualquer outra conversa é mera
Não adianta recusar porque ela é traiçoeira Anima e desorganiza é linda e bagunceira Guerreira, vive por aí para quebrar barreiras Sereia que enfeitiça qualquer um com sua beleza Sua fraqueza que não deixa ninguém escondê-la São feias as coisas que ela te pede pra fazê-la Nem por isso se recusa a se dar de bandeja Ela te quer, vem com ela observando a feira Maneira, quando vi, a sua cor era vermelha Aceita meu pedido pra sentar na sua mesa Quando não me chama pra tomar um café com letra Me beija e diz que de forma alguma me deixa Me peita, me pergunta até onde te quero E chega mais pertinho aqui pra me contar qualquer besteira Concedo a essa dança, não é pra qualquer princesa O sino toca e só parece que é pra vida inteira
Composição: Catra / Chayco / Don L / Flora Matos / Juju Ramos / Kapella / Karol De Souza / MC Coé / SPVIC / Stero Dubs / ValeteColaboração e revisão: Mayana Moscoso

Utilizamos cookies para personalizar sua experiência. Ao acessar o site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.