Déjà-vu (part. Makalister)

Froid

[Froid]
As coisas queimam ao meu redor
Eu sou fiel ao meu bem-estar
Mau acompanhar é o melhor que eu 
faço
Por isso eu preciso ficar só
Sonífero natural da pele: coragem
Amarga o suor no corpo
Me fingir de morto é uma estratégia
O medo tempera o jantar do lobo
Eu vejo o tempo lambendo os lábios
Cortando os laços do presente
Olhos na tabela como o Mike Jordan
Novo Nike, converte
É como explicar pro impossível
Eu sou impulsivo
A vida na Terra faz sentido
A ignorância é meio que um coma 
induzido
E lá no sótão
Onde mora Satã
Artistas solam
Cabeças rolam
Os homens fazem
Garotas olham, meninas crescem
Garotas molham
Eu risco algumas rimas arriscadas
Elas faíscam
Penso num refrão consideração
As demais pessoas que confundem 
sarcasmo com satanismo
Não é um serviço, é um feitiço
Se souber me fala como é que eu me 
livro
Me roubaram grana
Me passaram a banda
É a cultura deles desde navios
A direita tá rindo dos nossos filhos
A esquerda é só uma mesa de frios
A política é velha
Caixa de vidro, plasma
Escrito: Pasmem Bombas e explosivos [Makalister] Às vezes tenho déjà vu, quase que eu vivo (bounce) Às vezes tenho déjà vu, quase que eu vivo Paira sobre mim a nuvem dócil Penhascos Filmes de Dorota Agulhas marcam o futuro fóssil Futuro petróleo Tudo vira plástico Tudo corre tão rápido igual no som do Gustavo E se o tempo está incluso no tudo eu nem vou buscá-lo Quero gastar meus centavos Frutos do trabalho Árvore podre, envenenada Cegos que enxergam, mas fingem, falham Assisto calado a televisão no sábado em casa Cérebro repousa no sal Não é lesma, enfrenta Deseja Desenha Resenhado pela crítica Ovacionado pelo espírito Se no espelho me vi tão nítido Não embacei, banho frio Choque térmico no calor do pífio momento seco tal vinho Amargo tal saliva Pulmão respira Os animais se comunicam Humanos ditam Flow Castanha Natura Ekos Rima orgânica faz bem pra pele Girassol, eucalipto Eu detetizo, purifico O aroma da sala era de pinho e acobertava os sacrifícios Precisos pra alimentar a fome antiga Insatisfeito, porém ileso Bounce [Makalister e Froid] Ei, ei (skr skr) Às vezes tenho déjà vu quase que eu vivo, ei, ei, ei Bounce, bounce, ahn Às vezes tenho déjà vu quase que eu vivo Bounce [Froid] Às vezes tenho déjà vu quase que eu vivo Espelho convexo sonho complexo, (ei), comigo Sonho sem nexo como o tempo acontece? Como que essa ideia pesca a imagem antes? Como que é isso duas vezes? Como quem come quieto, ahn Bom dia, bom disco bom sexo O tempo não existe como o sucesso Passado como disquete por discurso Falado como enquete vira cash, vira peixe em espécie Pesque Business, Banknet Preso ao dinheiro Tempo é dinheiro Insatisfeito Porém ileso Bounce [Makalister e Froid] Às vezes tenho déjà vu quase que eu vivo, ahm Bounce, bounce Às vezes tenho déjà vu quase que eu vivo, ei Às vezes tenho déjà vu quase que eu vivo, ahm Bounce Às vezes tenho déjà vu quase que eu ahm
Composição: Caio / Chris / Cynthia Luz / Derek / Froid / John / Menestrel / Santzu / Zeca BaleiroColaboração e revisão: Genos Shakur

Utilizamos cookies para personalizar sua experiência. Ao acessar o site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.