Garota / Sou Alaska

Froid

Hoje é dia de Lua cheia
É dia de colheita
Eu olho na janela é o cara preta
Uivando porque ele não tem calheta
O fazem a caveira
Mas ele é que nem eu não tem coleira
Fiz um chá de sete ervas
Ritual com sete velas
E o segredo a sete chaves
Vinte e sete sentinelas
E o que ela tem nos olhos é minha 
boca
Me disse que é uma bruxa
Porque quem não é bruxo é trouxa
Se relacionar é dom
Se fechar o olho é breu
Enganar não é bom
Essa garota é melhor que eu
Viver pelo som
Lembra quando a gente prometeu
Me dá o que tem na mão
Eu vou misturar isso com um fumo meu

Eu gosto dessa vibe do som, baby
A luz da tarde é tão sunset
Vê se curte meu set novo que tá 
disponível na net
Faço o estilo rude boy do foda-se
Cê disse que gostou do meu dread
E se eu te contar que eu só faço 
pose?
E que na verdade eu sou um nerd
Eu curto as curvas e as tattoos
Como a estrada é instável
Quem se importa com o jogo?
Quem se importa com o status?
Só comer, rezar e amar, amar e só 
amar
Só todo dia enquanto o Sol vier 
mandar a energia lá fora
Realmente me identifico, (é) meu 
instinto é selvagem
Você sempre mexeu comigo, nunca tive coragem Meu instinto é primitivo e eu só falo bobagem E esses caras são uns boy Meu estilo é low rider Nosso lance tá em crise Ama menos, faça um striptease Esse ano eu faço 25, só queria ver meus amigo bem Fazer a boa, se mandar prum sítio Um belo pico, onde eu possa ser o síndico E igual um índio, vem O tempo para pós-transa O seu perfume é um poison Essa paixão é prisão E o meu lugar no podium é um tédio O tempo para pós transa O seu perfume é um poison Essa paixão é prisão E o meu lugar no podium é um tédio Aahn, garota, garota Aah, vamo viajar! Uó, uó, ahn Garota! Ah, ah, vamo viajar! Uó, uó, ahn A noite é uma criança; a bebida, a pedofilia E o drama foi justamente no meu dia de folia Me alimento de quilos de poesia E depois vomito da barriga tipo anorexia A brisa é que depois de tanta briga, nego aqui veste a camisa Ainda vende a camiseta enquanto lustra escopeta Porque grana é o capeta na virilha Cês não sabem nem um terço da vendeta Playboy nada vem de graça, eu sou a lasca Do diamante mais luminoso que cê já viu na praça Avança se tiver coragem, tudo bem, relatividade Caíram da cama, eu caí da laje O bagulho é que o sonho é de quem busca E quem se nega a verdade é que mais se frustra Pro mau aluno nenhum professor é bom O ouvinte é quem é que tem que ter o dom Acabei de roubar a razão E o antigo dono sofria de depressão Mas tá geral no clima e minha visão de mercado Arte é pra quem tá chocado e armado Quando acharem minhas digitais, eu já terei escapado Não pensa em se arrepender Parecia bem mais íngreme, olha pra mim Você que diz pra me doer, não pode me atingir O acaso vai me proteger Quando eu perder o meu dom de fingir Mas tudo vai mudar, esse dia vai ter fim Aquele dia vai chegar, eu posso pressentir O perigo e o caos, o tempo é o astral Vai mudar a mente dos homens de neandertal Eu tenho 500 anos, eu sou o Drácula E eles são muito burros pra entender metáfora O CIEE dizendo que tem uma vaga Por esses 500 conto eu faço beat em casa Eu sei que eu levo jeito e por isso eu lidero Eu sou um inferno pra igreja, um Martinho Lutero Eu me casei com a secretária, eu sou um grego Deixo os outros rappers no chinelo, ainda mostro o dedo Ninguém me ofereceu respeito, mas eu quero Por eu mesmo ter copiado meu CD no Nero Imagina um MacBook zero, o game eu zero Eu sempre fui um aluno zero Woah, eu ando no eixo com a mina que eu beijo Do jeito que eu quero com aquele montão de defeito Quebrando gelo e o elo com fogo no rego Eu sou só um refém, a minha mente é um cativeiro (É um cativeiro)
Composição: Colaboração e revisão: jonathan jorge

Utilizamos cookies para personalizar sua experiência. Ao acessar o site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.