Buck Jones,
Rei do oeste,
Que a muitas criancinhas,
Fez vibrar de emoção.
Dando tiro de espoleta,
Matando de mentirinha,
Sempre dez iam pro châo.

Buck Jones,
Era o rei da garotada,
E no seu cavalo branco,
Era a atração da petizada.

Buck Jones, Rei do oeste, Dava mais de 30 tiros, Sem a arma carregar. Que me constam que eram seis. Esse Buck era danado, Buck Jones era o tal. Buck Jones, Era o rei da garotada, E no seu cavalo branco, Era a atração da petizada. Dava muros e ponta pés Vê se cadeira ele quebrava, Enfrentando os mascarados. E no fim da sua luta, Sempre era o vencedor, Com a mocinha ao seu lado. Buck Jones, Era o rei da garotada, E no seu cavalo branco, Era a atração da petizada.
Composição: José LopesColaboração e revisão: José Uessler

Utilizamos cookies para personalizar sua experiência. Ao acessar o site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.