Cantando Pro Santo

Sabotage

Am
123
X02210
D
123
XX0232
Tom: G
Uhh Eu acho que o jovem de hoje em dia deve ler e se informar Ver bem as coisas como são Pra poder contestar as coisas de forma clara Não só rimas em vão [Refrão: Sabotage] Am D Algo no ar, contrariado nêgo chega Am Pra reclamar fortes momentos de D tristeza Am D De um gás que sobe (gás que sobe) Am D Parceiro, truta forte, ih, ihhh [Verso 1: Sabotage] Am Ventão que inspira sorte, guerreiro D que resolve Am D Socorre, he-he, não dispensa o cano e corre Am Não é loc, é tipo um Pixinguinha D nos acordes Am Mesmo sofrendo, alcança as águas de D riacho doce ( Am D ) Onde quer estar e esteja, vai estar protegido Aquele que nos dito, bem, também fora menino Me sinto motivado de prioridades Na cidade pressionado por necessidades Só maldade pra invadir coban e lares, um qualquer, quem sabe Pra comprar um Cadillac mais tarde Do tipo sem caô, só boa imagem Um descendente dos Palmares, é, você sabe Aos manos do outro lado da muralha, aquele salve Pra, quem sabe, na próxima visita, a liberdade A paz alcançará, na sul, o amor do pai Sei que firmão serei capaz, de sempre em sempre, mais O Criador fará de ti um bom rapaz Se passa o tempo e eu vou vendo, vários no veneno É sempre assim: na zona sul, ladrão bom vai embora cedo Para a permanência do sistema carcerário É a decadência, fraude na lei do mais fraco Existente, na mente de quem anda errado
Falta emprego, pra'queles que pegou pesado Onilê, ô pai Ogum, aiê-iê, ô mãe Oxum, Filho de Zambi, cansado de ver sangue aqui na sul Odara, odara ao povo preto, seja obsoleto Talvez mais ligeiro, faça tudo em segredo A liberdade vem primeiro, meu clone, meu espelho Sem sossego, sem emprego, no perreio, daquele jeito Peço ao boiadeiro que ouça ao meu apelo O povo está crescendo, fique atento, Odin ordene o vento No mar, um barco, pra remar tem que ter remo Independente não de mim, mas, também, sim, vários pretos A criançada faz do rap seu espelho São Cosme e Damião, dê-lhes proteção Na saída do campão, na final do Coringão Na passeata do centrão, paz para o povão Ozaziê, oxente na Bahia, baiano Seja escudo deste mano que se encontra em pranto Que, por engano, tretou com fulano Hoje é seu dia, perante a lei do homem, o cano Ó, senhor, que gire o mundo eu peço agô pro subúrbio Existe força suprema, problema pra ciência, Lá no Canão, somente Deus me dá certeza Das incertezas e inclarezas que seus filhos faz Os perdoe, pai, eles não são capaz de viver em paz De forma irracionais, ambiciosos Se lembram de Jesus pra ir ao pódio, E em seus olhos vejo um ódio diabólico A figura do senhor tá sempre em pele de leprosos Aquele que nasceu, porém, em Jerusalém Fora traído, porque do inimigo quis o bem Sem pesadelo, na paz ou por inteiro Demorou, aqui estou de mente afoita, ligeiro Me dê ao menos tempo pra orar Pedir pra Oxalá me preparar pra fama Bater cabeça no Gongá só na manha Vou toma banho de abô, nas ervas de Aruanda Quem não conhece, enfim, eu sei, difama, mas nada contra Várias demandas arrematadas na Umbanda Zé, em quem carrego a fé desde criança Deus menino, meu pastor, console a nossa dor Guerras, intrigas de família, é um horror Nossa Senhora, olhe por todos, Jesus faz pelo povo A terra, a água, o mar e o ar, e a natureza, e o oposto Santa Clara clareou, agora aqui estou De mente erguida, vou que vou, vou no Cristo Redentor De graças ao Senhor, sem dinheiro e com amor Lutou e conquistou, culpados perdoou Quem crucificou, tentou provar que não errou, se apavorou Ao ver que Deus menino, então, ressuscitou Quero axé, do Brooklin ao Canão, vejo os irmãos e vou na fé Assim que é (assim que é) Eu quero Axé, do Brooklin ao Canão, vejo os irmãos e vou na fé Assim que é (assim que é) [Refrão: Sabotage] Am D Algo no ar, contrariado nêgo chega Am Pra reclamar fortes momentos de D tristeza Am D De um gás que sobe (gás que sobe) Am D Parceiro, truta forte, ih, ihhh [Verso 2: Chorão] ( Am D ) Um mano firmeza fala sempre com clareza Está contra a realeza que ostenta essa pobreza Mais vale a liberdade e o bem que ela te faz Liberdade é tudo aquilo, liberdade é muito mais Pião num Impala, num domingo de sol Andando de skate ou jogando futebol A raça unida jamais será vencida A raça unida é o que pega, é o que liga Se liga, me diga se a vida, aqui, não merece uma chance Fora do pesadelo, esperto no lance A vida vivida de um modo simples é bem melhor, pra mim... A vida vivida de um modo simples é bem melhor, pra mim Há uma aparente possibilidade de mudar as coisas Definitivamente, não vão me deixar pra trás Não mais, não mais, não mais O estado pleno da sabedoria é o dom mais elevado Renovando e transformando, mudando todo o quadro Eu tô ligado, Chorão e Charlie Brown, Sabotage lado a lado Família RZO, então, eu sei Renovação me traz a brisa, cada medida Unidos um dia, então, seremos nós a justiça (nós a justiça) Essa eu fiz por vocês, irmãos, essa eu fiz por você, ladrão Essa eu fiz por vocês, irmãos, essa eu fiz por você, ladrão
Composição: ChorãoColaboração e revisão: Ulysses Verza

Utilizamos cookies para personalizar sua experiência. Ao acessar o site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.