Sob a Luz do Sol

Soweto

Enfim, o mal tempo já passou
Restou um sim
A dor se vai e o nosso amor
Que se mantém bem e em paz
Os sinos despertam
Um novo amanhecer

Se acaso ontem fui nobreza, por 
descaso fui ateu
Renuncio à realeza, é o jejum dos 
fariseus
Hoje eu sirvo a felicidade em seu corpo que lama de mel Sou arlequim Sem teu amor vou morrer de saudade Oh, saudade é tão pouco se estamos a um passo do céu De um jardim que exala um perfume no instante Em que a gente se ama, se ama com prazer Nem sempre o que é preciso a gente diz Mas preciso desse amor Desse amor que não me deixa Floresceu, bem quando o sol se pôs E pôs mais luz no coração Sigo em paz no teu perdão Sigo a vida como quis Sentir você num beijo meu E te ganhar pras minhas mãos No sabor dessa paixão e viver feliz
Composição: Claudinho De OliveiraColaboração e revisão: Manuel Soares

Utilizamos cookies para personalizar sua experiência. Ao acessar o site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.