Água no leite

Teodoro e Sampaio

Bb
234
X13331
C
123
X32010
F
234
133211
Tom: G

(solo 1)
              C                  
E|---------13-13-12--15-------
B|-------------------17-17-15-
G|-13--16---------------------
D|----------------------------
A|----------------------------
E|----------------------------
  F             C                   
E|-------14-------------------12-8-6-4--11-8-6-4---------| 
B|15\13--15--13---------------13-9-7-5--12-9-7-5---------| 
G|---------------14/17--15-------------------------------| 
D|-------------------------------------------------------| 
A|-------------------------------------------------------| 
E|-------------------------------------------------------| 



(solo 2)
       C                   F      
E|-4-7-12-12\11-----11-11--9--9\7-
B|-5-9-14-14\12-----12-12-10-10\7-
G|--------------------------------
D|--------------------------------
A|--------------------------------
E|--------------------------------
            C                     
E|------9-7-6-6-7---11-8-6-4---11-8-
B|-----10-9-7-7-9---12-9-7-5---12-9-
G|----------------------------------
D|----------------------------------
A|----------------------------------
E|----------------------------------
  FC    F
E|6-4--------------| 
B|7-5--------------| 
G|-----------------| 
D|-----------------| 
A|-----------------| 
E|-----------------| 

(Riff 1)


E|-11-10-6---| 
B|-12-9--7---| 
G|-----------| 
D|-----------| 
A|-----------| 
E|-----------| 

(Riff 2)


E|-2-4/5-----| 
B|-3-5/7-----| 
G|-----------| 
D|-----------| 
A|-----------| 
E|-----------| 


F                                 
Um leiteiro ganancioso enganava a 
      C
freguesia
Misturava água no leite e para o 
         F
povo vendia
Enriquecendo depressa dizia fazendo 
   C
graça
Não há nada neste mundo que o homem 
              F
queira e não faça
                       C           
Enquanto eu puxar no balde água do 
           Bb
poço a vontade
      C              F
Não falta leite na praça

(Riff 1)

(Solo 1)

F O dinheiro do seu roubo era num C saco guardado E muito bem escondido para não ser F encontrado Mas ele tinha um macaco que C observava a trapaça Parece que ele dizia espiando da F vidraça C Eu estou envergonhado por saber que Bb no passado C F Nós fomos da mesma raça (Riff 2) (Solo 2) F Mas um dia o macaco escondido lhe C seguiu Pegou o saco de dinheiro e jogou F dentro do rio Voltou denovo pro mato e Foi C pensando consigo Tenho vergonha do homem por parecer F comigo C O homem é bicho tratante e vê no Bb seu semelhante C F O seu maior inimigo (Riff 1) (Solo 1) F Leiteiro desesperado dentro do rio C se atirou Mas do maldito dinheiro nem um F centavo salvou Sentou na beira do rio e chorando C assim falou Quis ficar rico depressa e mais F pobre hoje sou C Que destino foi o meu tudo que a Bb água me deu C F A mesma água levou (Riff 2) (Solo 2)
Composição: Jose Fortuna / ParaísoColaboração e revisão: Gonzaguinha Rochadanilo g.gPaulo LimaGustavo Atilla

Utilizamos cookies para personalizar sua experiência. Ao acessar o site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.