busca

Terra Roxa

Tião Carreiro e Pardinho

Tom: D
 D                      A7
Um granfino num carro de luxo
                      D
Parou em frente de um restaurante
                            G
Faz favor de trocar mil cruzeiros
           A7               D
Afobado ele disse para o negociante
                            A7
Me desculpe que eu não tenho troco
                       D
Mas aí tem freguês importante
                          G
O granfino foi de mesa em mesa
            A7               D
E por uma delas passou por diante
Por ver um preto que estava almoçando
               A7                 D
Num traje esquisito num tipo de andante
 G
Sei dizer que o tal mil cruzeiro
          A7                    G        A7  D
Ali era dinheiro para aqueles viajaaante aai aai

( D A7 D )

 D                       A7
O negociante falou pro granfino
                          D
Esse preto eu já vi tem trocado
                         G
O granfino sorriu com desprezo
              A7                       D
O senhor não tá vendo que é um pobre coitado
                     A7
Com a roupa toda amarrotada
                     D
E o jeito de muito acanhado
                            G
Se esse cara for alguém na vida
          A7                   D
Então eu serei presidente do estado
Desse mato aí não sai coelho
           A7                    D
E para o senhor fica um muito obrigado
  G
Perguntar se esse preto tem troco
            A7              G           A7   D
É deixar o caboclo muito envergonhaaado aai aai

( D A7 D )

 D                          A7
Nisso o preto que ouviu a conversa
                         D
Chamou o moço com modo educado
                         G
Arrancou da guaiaca um pacote
                  A7
Com mais de umas cem
                  D
Cor de abóbora embolado
                        A7
Uma a uma jogou sobre a mesa
                         D
Me desculpe não lhe ter trocado
                    G
O granfino sorriu amarelo
            A7                 D
Na certa o senhor deve ser deputado
Pela cor vermelha dessas notas
          A7                  D
Parece dinheiro que estava enterrado
 G
Disse o preto não arregale o olho
             A7
É apenas o restolho do que eu tenho
 G          A7   D
Empataaado aaai aai

( D A7 D )
 
 D                        A7
Essas notas vermelhas de terra
                  D
É de terra pura massapé
                         G
Foi aonde eu plantei a sete anos
             A7                D
Duzentos e oitenta mil pés de café
                          A7
Essa terra que a água não lava
                       D
E sustenta o brasil de pé
                        G
Você tando montado nos cobre
             A7              D
Nunca falta amigo e algumas muié
É com elas que nós importamos
          A7                D
Os tais cadillac, ford e chevrolet
 G
Pra depois os mocinhos granfinos
           A7                G     A7   D
Andar se exibindo que nem coronééé aai aai
 
( D A7 D )
 
 D                     A7
O granfino pediu mil desculpas
                 D
Rematou meio desenxavido
                        G
Gostaria de arriscar a sorte
                A7               D
Onde está esse imenso tesouro escondido
                           A7
Isso é fácil respondeu o preto
                         D
Se na enxada tu fores sacudido
                      G
Terra lá é a peso de ouro
          A7             D
E o seu futuro estará garantido
Essa terra é abençoada por Deus
          A7                  D
Não é propaganda lá não fui nascido
 G
É no estado do paraná
           A7                   G       A7   D
Aonde que está meu ranchinho queriiido aaai aai

( D A7 D )

Clipes

Cifra Club Pro

Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios
Cifra Club Pro
Aproveite o Cifra Club com benefícios exclusivos e sem anúncios