Vida de Palhaço

Tonico e Tinoco

O circo estava repleto
O que tinha de seleto lá da vila se via
O bilheteiro contente
Alegre e sorridente, a todo o povo atendia


O sino com voz sonora
Toca já sem demora, toca pedindo atenção
Os assistentes se endireitam nos assentos
Para assistir a função


E quando a música rompia
O palhaço recebia um telegrama cruel
E já pronto e já pintado
O pobre mudo, acabrunhado leu lacônico o papel


Dizia mui simplesmente
Ontem morreu de repente nossa mãe, Deus a chamou
Os seus olhos de palhaço
Perderam os alegres traços e de lágrimas se inundou


E o povo de espaço em espaço gritava
Encena, encena o palhaço, venha ele pandegar
O pobre enxugando o pranto
Salta lá do seu canto e entra na arena cantar


E dentro da arena
Alegre fazendo cena maldizia a sua sorte
Me perdoe mãe querida
Sou forçado pela vida a sorrir da sua morte


E mal para dentro entrava
O palhaço de novo chorava sem poder se consolar
Oh, mãe querida velhinha
Vês que triste sina é a minha, nem por ti eu posso chorar


E assim é a vida do artista
Para que a plateia assista com prazer sua função
Entra o palhaço escondendo o desgosto
Trazendo o riso no rosto e o pranto no coração

Composição: Zé PaioçaColaboração e revisão: Nelson Campos

Cifra Club Academy

O ensino de música que cabe no seu tempo e no seu bolso!

Quero conhecer os cursos
Cifra Club Pro

Entre para o
Cifra Club PRO

Tenha acesso a benefícios exclusivos no App e no Site

  • Chega de anúncios

  • Mais recursos no app do afinador

  • Desconto em nossos produtos

  • Entre outras vantagens...