Música latina: ícones que você precisa ouvir hoje!

Por Alex Fernandes

Ah, a música latina! Todo mundo conhece um pouquinho, e ainda assim há tanto para desvendar sobre esse universo musical particular. O mundo inteiro já se rendeu a alguns dos artistas latinos mais populares — Shakira e Enrique Iglesias são ótimos exemplos. Não é à toa, já que os estilos contagiantes são queridos por pessoas de diversas nacionalidades.

Mon Laferte, estrela da música latina, durante show no México(Foto de Tania/ Secretaria de cultura da cidade do México)
O talento único de Mon Laferte também é responsável pela riqueza da música latina (Foto/Tania Victoria)

Mas não só de ícones do pop se faz a música latina. Alguns artistas fizeram história, mas não são tão conhecidos por aqui. O que é estranho, já que eles estão geograficamente perto do Brasil, não é? Como a cultura brasileira consome muito dos Estados Unidos, temos um déficit com nossos vizinhos.

Isso muda hoje. A seguir, conheça 10 nomes latinos de diferentes países e gêneros musicais para expandir seu gosto!

10 expoentes da música latina

Selecionar apenas 10 nomes para esta lista não é trabalho fácil. Para ser justo, escolhemos deixar de fora alguns dos nomes mais conhecidos. Afinal, a ideia é conhecer e salvar algumas novidades na playlist. Por isso, caso seu artista preferido não esteja por aqui, pode ser apenas porque ele já é muito popular!

Ainda assim, consideramos o nível de popularidade no gênero musical de cada um e do país. Mesmo quem não tem fama mundial, certamente pode ter bastante relevância.

Pronto? Então, prepare-se para uma seleção eclética de música latina!

Mon Laferte – Chile

Dona de uma voz poderosa, Mon Laferte canta um pouco de pop e rock alternativo, blues,  indie, bolero e eletrônico. Seu reconhecimento veio já no Chile, mas em 2007 ela se mudou para o México e continuou com a carreira por lá.

O sucesso veio ainda maior, inclusive internacionalmente. Um de seus maiores hits é a intensa Tu Falta De Querer.

José José – México

Também chamado “o príncipe da canção”, esse saudoso cantor mexicano morreu em 2019, em razão das complicações do câncer no pâncreas. Dono de uma inesquecível voz de tenor, José José fez muito sucesso a partir da década de 1970 e deixou um legado inquestionável. Entre suas canções de maior sucesso estão Almohada, La Nave Del Olvido e El Triste.

Curiosidade: Frank Sinatra quis gravar um feat. com José José, mas a gravadora do mexicano não permitiu.

Charly García – Argentina

Ícone do rock argentino, Charly García coleciona passagens por grupos importantes do rock feito do lado de cá da Linha do Equador. Sua brilhante carreira começou no duo folk Sui Generis, no começo dos anos 70, e ganhou sequência nas bandas Serú Girán e La Máquina de Hacer Pájaros.

Multi-instrumentalista, Charly é um exímio criador de melodias. Outro ponto forte de sua carreira é a sua capacidade de conexão com o público. É só ver essa apoteótica apresentação de Seminare para perceber o tamanho (e carinho) da plateia:

Residente/Calle 13 – Porto Rico

O porto-riquenho René Pérez Joglar, mais conhecido como Residente, faz sucesso como cantor solo e como vocalista da banda Calle 13, com quem trabalha junto de seus irmãos Visitante e PG-13. Em ambos casos, o gênero musical inicialmente era o reggaeton, mas tanto o grupo quanto Residente se aventuraram mais pelo hip hop, pop e outros estilos característicos da música latina.

Os temas das músicas costumam ser políticas e densas, por vezes satíricas, outras vezes mais pessoais. A faixa de maior sucesso de Residente é René e da Calle 13 é, entre outras, Muerte en Hawaii.

Santana – música latina do México para o mundo

Talvez você não se lembre de primeira quem é Carlos Santana, mas é bem provável que já tenha ouvido algum dos riffs clássicos de sua guitarra. O músico é um ícone do rock latino desde a década de 1960!

Todos esses anos foram recheados de lançamentos, inclusive participações com inúmeros artistas. Os exemplos podem ir de Shakira a Samuel Rosa (sim, da banda Skank). Para ilustrar com uma canção bem popular, temos Corazón Espinado, com Maná.

TINI – Argentina

Martina Stoessel, ou apenas TINI, é um rosto familiar para muitos. Isso porque ela se tornou famosa em 2012, quando interpretou a protagonista da novela Violetta, do Disney Channel América Latina. Se você já se perguntou por onde essa artista anda, saiba que ela está totalmente na música.

TINI vem trabalhando sem parar nos últimos anos e, atualmente, já tem três álbuns lançados, além de várias colaborações. Um de seus sucessos mais recentes é Te Olvidaré.

Sebastián Yatra – Colômbia

Sebastián Yatra é um expoente de pop latino mais próximo do estilo de Maluma e Daddy Yankee (com quem, inclusive, ele tem parceria). Ele estreou oficialmente há quatro anos com o single Traicionera.

Com a fama crescendo gradualmente, Sebastian promete no pop. Mas ele também sabe fazer uma boa baladinha — como é o caso de No Hay Nadie Más.

Devendra Banhart – Venezuela

O gênero musical mais diferenciado da lista certamente fica com Devendra Banhart e seu folk psicodélico. Bastante familiarizado com a MPB, Devendra é relativamente conhecido no Brasil.

Sua nacionalidade é dupla, já que nasceu no Texas (EUA), mas foi criado na Venezuela. E esse é o aspecto mais “normal” do cantor, se levarmos em conta o estilo de suas músicas e clipes.

Um dos mais famosos é Carmensita, que representa bem a parte “psicodélica”. Além disso, apesar de ser difícil de ver pela qualidade, a atriz que participa do vídeo é Natalie Portman, com quem Devendra já namorou.

Sofia Reyes – México

Pulando de uma longa carreira para outra bem mais recente, temos também a mexicana Sofia Reyes, que está crescendo no cenário pop latino e global. A cantora e atriz já fez parte de uma banda feminina, mas deixou o grupo e se dedicou à carreira solo. Em 2014, o primeiro single não independente saiu: Muévelo.

De lá para cá, Sofia cresceu e participou de algumas músicas de grande sucesso, como R.I.P. , com Anitta e Rita Ora; e 1, 2, 3 , feat.com Jason Derulo e De La Ghetto.

4 Pesos de Propina – Uruguai

Por fim, temos uma banda de rock e ska uruguaia, consolidada no país desde os anos 2000. De 2007 até hoje, eles lançaram quatro álbuns de estúdio e um DVD ao vivo. O último álbum, de 2019, conta com participações variadas de artistas latino-americanos.

Uma das músicas de maior sucesso do grupo é Mi Revolucion, forte na letra e na emoção

A versatilidade da música latina

Como deu para perceber, o que não falta é diversidade na música latina! E aí, você descobriu algum artista que vai para a playlist? Que tal compartilhar o post para que seus amigos também conheçam?

Você também pode gostar dessas publicações: