Quais vícios e manias te impedem de evoluir como músico? Descubra

Por Gustavo Morais

Tocar violão é mais fácil do que parece

 

Que tal eliminar os vícios e manias que travam sua evolução no violão? (Foto/Pexels)

Na música, bem como na vida em geral, somos todos eternos aprendizes. Seja lá qual for o nível de aprendizado, o estudante sempre está sujeito aos vícios e manias que impedem a evolução. Que perca a primeira palheta, ou que quebre a próxima corda, o músico que não comete nem um gesto que trave seu crescimento!

Errar é humano, de fato. Mas corrigir tais erros, inevitavelmente, é uma atitude mais mais humana ainda. Neste post vamos refletir sobre os comportamentos que estagnam o nosso desenvolvimento artístico. O propósito é te ajudar a se livrar de maus hábitos que não te deixam aprimorar uma técnica, por exemplo, ou até tocar músicas mais complexas.

Afine suas cordas aí, separe suas palhetas e “vam’bora”!

Má postura – Coluna encurvada

Eis uma mania bem comum, sobretudo entre os iniciantes. Com o objetivo de conseguir ver as notas no braço, o estudante pode desenvolver uma má postura ao tocar, ou seja, é comum deixarmos a coluna encurvada (em forma arqueada). Além de impedir uma melhor performance, essa postura pode causar problemas ortopédicos a curto/médio prazo.

Menina toca violão com coluna curvada

A coluna arqueada é ruim pra saúde e pro aprendizado musical (Foto/Pexels)

Para corrigir essa situação, o ideal é pensar na relação conforto x ergonomia. Sendo assim, encontre uma posição em que você nem fique muito reto e nem arqueado. Antes de começar seus estudos, bem como ao terminar, separe uns minutinhos para fazer fazer alongamentos! Ah, e não se esqueça de que é as atividades físicas também são bem-vindas na rotina de uma músico.

Parar de tocar durante a troca de acordes

Estamos falando de uma das manias mais comuns entre os iniciantes, independente do instrumento musical. Se não for solucionado a tempo, no entanto, esse mau hábito pode acabar virando um vício que

No caso dos instrumentos de corda, uma regrinha é fundamental para corrigir as pausas entre a troca de acordes: a mão que aperta as cordas deve se adequar à mão que propõe a batida, nunca o contrário. Sendo assim, se você for destro, quando estiver executando um ritmo na mão direita, não pare quando trocar o acorde da mão esquerda.

Trocar de acordes é um fundamento que precisa de atenção

Muito cuidado com a troca de acordes (Foto/Pexels)

Um exercício básico para isso é começar tocando uma batida simples (para cima, para baixo, para cima, para baixo) e escolher dois acordes fáceis como E e A. Toque o primeiro acorde usando a batida, de 3 a 5 vezes. Em seguida troque de acorde sem parar de executar a batida. Mesmo que você se atrapalhe com a troca, não pare de executar a batida.

Conforme for praticando esse exercício, pouco a pouco você perceberá a adequação entre as mãos.

Posicionamento das mãos

Um dos principais vícios que te impedem de evoluir na guitarra ou violão é a má posição das mãos. Observe a seguir alguns probleminhas que podem e devem ser evitados.

Mão que forma os acordes: o dedo deve ser posicionar de modo que o centro da ponta do dedo pressione as cordas. Procure manter a mão levemente abaulada, de modo que não haja curvatura acentuada no punho.

Os dedos que formam os acordes em um instrumento musical

Eis o posicionamento correto da mão que aperta as cordas (Foto/Pexels)

Atenção: muito cuidado com a formação da pestana! O polegar é um ponto de apoio, ou seja, não há necessidade de imprimir força entre o polegar e indicador. Nesse sentido, pense nesses dedos como o formato de uma pinça. Além do mais, lembre-se que a força vem da parte da frente da mão em direção ao seu corpo, nunca entre os dedos. É bem comum colocar o dedo médio sobre o indicador na hora de montar a pestana. Essa mania, inclusive, facilita a execução. O grande problema, no entanto, é que não tem como montar todos os acordes com essa forma. Logo, recomenda-se o treino de pestanas sem o dedo 2 sobre o dedo 1.

Ainda sobre a pestana, posicione o dedo levemente virado para a esquerda, isto é, a lateral do dedo é a parte que deve tocar nas cordas. Lembre-se de deixá-lo próximo do traste que fica adiante. O polegar deve ser posicionado levemente à esquerda, seguindo a forma natural da mão relaxada. Em caso de dúvidas, experimente montar o acorde fora do braço do violão e observe se a posição está confortável. Em caso de incômodo, busque a forma mais relaxada possível, de modo que seus dedos se ajeitem naturalmente.

Pestana montada de forma correta

Um exemplo de como montar uma pestana de forma correta (Foto/Pexels)

Mão que conduz a batida: não deixe os dedos retos ou o polegar dobrado. Evite manter a mão muito próxima do instrumento. Deixe a mão em forma de arco, como se você estivesse segurando uma bola. O punho precisa manter uma linha sútil e constante, de modo que não fique fique inclinado nem pra cima e nem para baixo. No vídeo abaixo, o grande Leo Eymard desvenda esse fundamento.

Pode ser que você ache esse assunto meio chato, mas pode ter certeza de que o correto posicionamento das mãos te ajudam a tocar sem se cansar. Consequentemente, as músicas serão executados com menor dificuldade.

Por fim, mas não menos importante

Agora que você já está por dentro dos vícios e manias que atrapalham sua evolução como estudante de música, saiba que nossa conversa ainda não terminou! Neste link, por exemplo, você descobre como melhorar suas aulas online. Nosso objetivo final é te ajudar a explorar seu potencial da melhor form possível!

Aprenda mais:

Ah, e não se esqueça de compartilhar o link deste post com a galera que está aprendendo a tocar. Afinal de contas, músicos mais bem preparados é o que garante a qualidade do surgimento de novas bandas e novos ídolos