Biel quer mostrar que mudou

Por Damy Coelho

Depois de polêmica de assédio envolvendo Biel, muita gente esperava que o cantor tirasse um tempo de reclusão – um período para “estudar e aprender”, como o próprio jovem definiu antes de sair de cena.

Parece que, apenas um ano depois, Biel quer mostrar que já aprendeu direitinho: o cantor publicou um vídeo – quase um curta-metragem melodramático adolescente – mostrando a nova fase da sua carreira e da vida, deixando claro que “aprendeu com os erros” e que está mais próximo de Deus.

Arrependimento ou estratégia de marketing, fato é que o vídeo fez com que Biel renascesse das cinzas do Twitter nesta terça (27) e voasse direto para os Trending Topics.

O próprio anúncio do vídeo feito por Biel dá conta do que vem por aí, em uma avaliação aparentemente muito madura de si mesmo: “a cabeça é de alguém de 20 anos. Contextualize”, pede o cantor.

No vídeo, Biel tenta explicar vários pontos polêmicos de uma carreira tão curta: a acusação de assédio contra a jornalista, a suspeita de ter atropelado uma pessoa em Lorena (SP) e os tuítes com conteúdo homofóbico e racista que criou antes da fama. Além disso, Biel deu sua versão sobre a sua carreira e seus novos preceitos. “Eu era um produto”, define.

Veja a seguir alguns pontos que o cantor levantou no vídeo:

Nova Fase

O vídeo começa com Biel em um cenário paradisíaco, aparentemente refletindo sobre suas atitudes. Depois, reportagens que mostram todas as polêmicas em que o cantor se envolveu são misturadas com trechos melodramáticos do seriado Chaves.

O jovem de 21 anos não quer mais ser atendido pelo nome de Biel (agora usa o nome Gah,  outro diminutivo de Gabriel) e explica que se sente “outro ser humano”. O cantor vive nos Estados Unidos desde o ano passado e assumiu recentemente um relacionamento sério.

“Ninguém nunca me chamou de Biel, eu sempre fui o Gah para quem sempre importou pra mim. Foi criado um personagem no qual todos os envolvidos queriam que desse dinheiro. O que dá dinheiro? Tirar camisa, letras eróticas, egocêntricas, fazer quadradinho”, diz, criticando o próprio passado, quando queria ser associado ao universo do funk – no início da carreira, o cantor era atendido por Mc Biel.

“Nenhuma dessas letras foram composições minhas, nem o sotaque”, continua. “Enquanto isso dava dinheiro, eu escrevia letras românticas que não eram aprovadas”.

Biel com a nova namorada, Duda Castro (Reprodução/Instagram)

Acusação de assédio

O cantor tocou no tema do assédio, mais uma vez, se defendendo.

“Errei, é fácil julgar um caso. Eu estava sendo julgado como estuprador por eu ter entrado no personagem que tive que entrar porque dava dinheiro. Pra julgar uma história, tenta conhecer, não julgue pela capa”.

O jovem ainda explicou que queria ter cantado uma música como pedido de desculpas para a jornalista Giula Pereira. “O vídeo de desculpas medíocre não foi decisão minha, nem as palavras. Minha vontade era pegar o meu violão e cantar a música que eu fiz, mas não deixaram, tiveram medo de isso ser usado contra mim”, se defendeu.

Atropelamento

Ao contrário da denúncia de assédio, que foi à tona após a denúncia da vítima vir a público, o cantor nega as acusações de ter atropelado um motociclista.

 “Não tinha um arranhão no meu carro. Eu fui para a delegacia e logo fui liberado, mas na saída já tinham centenas de repórteres me acusando. Paguei porque aquele valor não era grande para mim e para a pessoa devia ser. Não atropelei ninguém”.

Tuítes racistas e homofóbicos

Sobre os tuítes que vieram à tona na época do assédio, recheados de preconceito – e que ajudaram ainda mais a afundar a carreira do cantor naquele momento – Biel se defende: “Eu tinha 15 anos (na época). Minha única preocupação era assistir vídeos do Youtubers e Pânico. Eu tenho que me desculpar por ter sido adolescente? ”, questiona.

O vídeo completo (com pouco mais de 13 minutos) foi replicado nas redes sociais e em vários portais de notícia.

Mudanças?

De fato, Biel tem apenas 21 anos e direito de passar por muitas fases. Julgar se o vídeo é um desabafo ou uma estratégia para voltar aos holofotes pouco importa. O que resta é torcer para que este novo momento de sua carreira não venha recheado de polêmicas e que o cantor mude, de fato, sua postura diante de mulheres, negros, homossexuais, longe das ofensas feitas em um passado recente, marcado pelo excesso de desrespeito e ausência de limites.

Como é inspiração para vários adolescentes, é apenas sensato que alguém – senão ele mesmo – olhe com mais cuidado para suas atitudes e para seus próprios fãs, sem que sua pouca idade seja usada como tentativa de justificar o injustificável.

Utilizamos cookies para personalizar sua experiência. Ao acessar o site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.