Tipos de gaita: qual a diferença entre diatônica, cromática e tremolo?

Por Angelo Cherubini

Os diferentes tipos de gaita de boca marcam muito pela melodia suave e única! Além de serem menores e, portanto, mais práticas, elas costumam apresentar preços médios  abaixo de outros instrumentos musicais. Mas a praticidade não tem nada a ver com o instrumento ser simples. 

Um jovem Bob Dylan tocando violão e gaita
Ainda jovem, o revolucionário e visionário Bob Dylan ajudou a popularizar a gaita na música do século XX (Foto/Internet)

A gaita também é capaz de atingir uma ampla variedade de timbres, tem sua teoria própria e várias técnicas que demandam bastante treino e estudo. Por essas e outras, esse instrumento cativa demais ouvintes mundo afora!

5 tipos de gaita de boca mais comuns

Os dois modelos mais conhecidos de gaita são a diatônica e a cromática. Mas neste artigo, você vai ver que o universo das gaitas é bem mais amplo, possui variedade de tons, estilos e funcionamentos!

Diatônicas

A mais clássica de todas, a gaita diatônica é distribuída em diferentes tons. Uma gaita diatônica pode ser encontrada em Dó, Fá e por aí vai. Em suma: na gaita em Dó, o que guia é a escala de dó maior: CDEFGAB. 

Gaita diatônica, um dos tipos de gaita mais popular
A gaita diatônica é a mais clássica entre os tipos de gaita (Foto/PxHere)

A mesma coisa se aplica para qualquer outro tom que a gaita tiver e, por essa razão, é possível encontrar cifras em tom de G, como em Até o Fim, do Engenheiros do Hawaii:

Gaitistas profissionais, em geral, precisam ter várias gaitas diatônicas diferentes, justamente porque cada uma delas está equipada para determinado tom. Em Pink, do Aerosmith, o tom é C:

Como você deve ter percebido, a gaita diatônica é bastante utilizada no Pop, Rock e Blues! Ela possui 10 furos e é a mais indicada para quem está começando os estudos. Pega essa do mestre Bob Dylan.

Cromáticas

As cromáticas são mais peculiares. Nelas, é possível tocar qualquer escala, graças a um dispositivo que fica na lateral e permite redirecionar o ar que está entrando ou saindo pelo bocal.

Outro detalhe importante é que elas podem possuir 12, 14 ou 16 furos e podem ser encontradas em número de 48, 56 ou 68 vozes.

Gaita cromática, um dos tipos de gaita mais peculiares
A gaita cromática com 12 furos pode atingir 48 tons (Foto/Internet)

Ficou confuso? Vamos tentar aprofundar: na gaita de boca, podemos soprar ou aspirar o ar, correto? Em cada furo que aspiramos, atingimos uma nota; em cada furo que sopramos, atingimos outra. 

Contudo, quando a chave está acionada e redireciona o ar, as notas mudam novamente, e dobramos a quantidade de “acidentes” que pode ser trabalhada no instrumento. Consequentemente, quanto mais furos, mais vozes! 

O vídeo abaixo é de um grande harmonista e gaitista brasileiro: Clayber de Souza. O artista está tocando a música Bachianinha Nº 1, de Paulinho de Nogueira e você vai perceber que, em alguns momentos, dá até pra ouvir o clique da chave cromática, bem baixinho ! Coloque os fones e aproveite:

Toda essa dinâmica faz com que a gaita cromática exija mais técnica e habilidade, sendo recomendada para quem já possui alguma familiaridade com o instrumento. Se estiver começando, aposte na diatônica.

Tremolo

Na hora de estudar os tipos de gaita pra comprar, talvez você se depare com a gaita tremolo. Ela também é vendida em vozes e o grande diferencial é que esse modelo possui duas fileiras de orifícios para tocar!

Gaita tremolo, um dos tipos de gaita da fabricante Hohner
A sutileza das notas da gaita tremolo é bem comum na música country (Foto/Internet)

Funciona assim: a placa de cima possui, basicamente, as mesmas notas que a de baixo. O que acontece é uma leve (quase sutil) alteração entre os furos “gêmeos” do instrumento para que, quando a nota de cima for tocada ao mesmo tempo que a de baixo, o efeito sonoro seja meio estridente, trêmulo.

Caso a nota de cima ou de baixo seja tocada individualmente, o som sai limpo, salvo a leve alteração que citamos acima! São mais comuns na música country.

Oitavadas

Dentre os tipos de gaita, as oitavadas são chamadas assim porque, entre a lâmina de cima e a de baixo, existe uma oitava de diferença! Isso permite que se torne mais nítida a distinção entre grave/agudo ao longo da dinâmica do instrumento.

Por fim, é importante sabermos que ela é bem comum em músicas regionais.

Chord

O modelo mais robusto, indicado para músicos com perfil mais erudito, ou seja, esse tipo de gaita é um dos indicados utilizados em orquestra. Nesse sentido, por ser mais longo que os outros, ele é capaz de executar 24 ou 48 acordes em cada um dos setores do instrumento.

E, conforme você pode imaginar, são bem mais caras. A opção mais famosa é a Suzuki SCH, que pode chegar a quase R$5.000!

Overdrive MR300

Quando falamos de tipos de gaita, essa é uma bem específica  e chegou ao mercado há poucos anos. A Suzuki OverDrive possui furos na parte de cima e de baixo, o que permite bends, vibratos, overblows e overdraws mais definidos e encorpados do que o comum.

Por sinal, o Overblow e o Overdraw são técnicas popularizadas pelo gaitista americano Howard Levy, de Chicago. Essa habilidade permite atingir notas variadas do que em um Bend tradicional. Olha a técnica dele:

Era Uma Vez no Oeste

Outra curiosidade relacionada aos tipos de gaita é a trilha sonora do faroeste Era Uma Vez no Oeste, de 1968. As músicas do filme foram elaboradas pelo compositor italiano Ennio Morricone, e uma das mais clássicas se chama A Man With the Harmonica (Um Homem Com a Gaita, em português)! Se liga:

Cifras para gaita no Cifra Club 

Bom, se você curtiu o texto e a seleção de vídeos que fizemos sobre tipos de gaita, compartilhe o post com aquele amigo e amiga que se amarram em instrumentos de sopro! Por fim, se quiser buscar material de tabela, acesse nossa aba de cifras para gaita no site.

E solta o blues!