O Que Será (A Flor da Pele)

Chico Buarque

A7(b13)
12
X0X021
Ab7(b5)
1234
4X453X
Abº
1234
4X343X
Am
123
X02210
Am6
1234
5X455X
Am7
12
X02010
Am7(b5)
1234
5X554X
Am7M
123
X02110
Bb/D
1234
X5X366
Bbm6
1234
6X566X
Bbm7
34
X13121
Bbm7M
234
X13221
Bm7(b5)
1234
X2323X
C#7(b5)
1234
X4546X
C#º
234
X45353
Cm
234
X35543
Cm6
1234
X3X243
Cm7
34
X35343
Cm7M
234
X35443
D7
123
XX0212
D7(b9)
1234
X5454X
Dm
123
XX0231
Dm6
1234
X5X465
Dm7
34
X57565
Dm7M
123
XX0221
E7
1234
022130
E7(b9)
1234
XX2131
Ebm
1234
XX1342
Ebm6
1234
XX1312
Ebm7
1234
XX1322
Ebm7M
234
X68776
Em
12
022000
Em6
1234
X7X687
Em7
123
022030
Em7(b5)
1234
XX2333
Em7M
1234
XX2443
F/A
1234
5X356X
Fm
34
133111
Fm7M
1234
XX3554
G7/B
123
X2303X
Gm
34
355333
Gm/Bb
1234
6553XX
Gm6
1234
3X233X
Gm7
1234
3X333X
Gm7M
34
354333
Tom: Dm
Dm Dm7M Dm7 O que será, que me dá Dm6 Am Am7M Que me bole por dentro, será que me Am7Ab7(b5) Gm Gm7M Que brota à flor da pele, será que Gm7 me dá Gm6 Gm/Bb E que me sobe às faces e me faz Bbm7M Em7(b5) corar A7(b13) Dm Dm7M E que me salta aos olhos a me Dm7 atraiçoar Dm6 Am Am7M E que me aperta o peito e me faz Am7 confessar Ab7(b5) Gm Gm7M O que não tem mais jeito de Gm7 dissimular Gm6 Gm/Bb Bbm7M E que nem é direito ninguém Em7(b5) recusar A7(b13) Dm Dm7M E que me faz mendigo, me faz Dm7 suplicar Dm6 Gm/Bb Bbm7M O que não tem medida, nem nunca Bbm7 terá Bbm6 F/A Abº O que não tem remédio, nem nunca Gm7 terá A7(b13) Dm A7(b13) O que não tem receita Dm Dm7M Dm7 O que será que será Dm6 Am Am7M Am7 Que dá dentro da gente e que não devia Ab7(b5) Gm Gm7M Gm7 Que desacata a gente, que é revelia Gm6 Gm/Bb Bbm7M Que é feito uma aguardente que não Em7(b5) sacia A7(b13) Dm Dm7M Dm7 Que é feito estar doente de uma folia
Dm6 Am Am7M Que nem dez mandamentos vão Am7 conciliar Ab7(b5) Gm Gm7M Gm7 Nem todos os unguentos vão aliviar Gm6 Gm/Bb Nem todos os quebrantos, toda Bbm7M Em7(b5) alquimia A7(b13) Dm Dm7M Dm7 E nem todos os santos, será que será Dm6 Gm/Bb Bbm7M O que não tem descanso, nem nunca Bbm7 terá Bbm6 F/A Abº O que não tem cansaço, nem nunca Gm7 terá A7(b13) Dm D7 O que não tem limite Gm Gm7M Gm7 O que será que me dá Gm6 Dm Dm7M Que me queima por dentro, será que Dm7 me dá C#7(b5) Cm Cm7M Cm7 Que me perturba o sono, será que me dá Cm6 Ebm Ebm7M Que todos os tremores me vêm Am7(b5) agitar D7(b9) Gm Gm7M Que todos os ardores me vêm atiçar Gm7 Gm6 Dm Dm7M Dm7 Que todos os suores me vêm encharcar G7/B Cm Cm7M Que todos os meus nervos estão a Cm7 rogar Cm6 Ebm Que todos os meus órgãos Ebm7M Am7(b5) estão a clamar D7(b9) Gm E uma aflição medonha me faz Gm7M Gm7 implorar Gm6 Ebm Ebm7M O que não tem vergonha, nem nunca Ebm7 terá Ebm6 Bb/D C#º O que não tem governo, nem nunca Cm7 terá D7 Gm E7 O que não tem juízo [Solo] Am Am7M Am7 Am6 Em Em7M Em7 Em6 Dm Dm7M Dm7 Dm6 Fm Fm7M Bm7(b5) E7(b9) Am Am7M Am7 Am6 Em Em7M Em7 Em6 Gm Gm7M Gm7 O que será que me dá Gm6 Dm Dm7M Que me queima por dentro, será que Dm7 me dá C#7(b5) Cm Cm7M Cm7 Que me perturba o sono, será que me dá Cm6 Ebm Ebm7M Que todos os tremores me vêm Am7(b5) agitar D7(b9) Gm Gm7M Que todos os ardores me vêm atiçar Gm7 Gm6 Dm Dm7M Dm7 Que todos os suores me vêm encharcar G7/B Cm Cm7M Que todos os meus nervos estão a Cm7 rogar Cm6 Ebm Que todos os meus órgãos Ebm7M Am7(b5) estão a clamar D7(b9) Gm E uma aflição medonha me faz Gm7M Gm7 implorar Gm6 Ebm Ebm7M O que não tem vergonha, nem nunca Ebm7 terá Ebm6 Bb/D C#º O que não tem governo, nem nunca Cm7 terá D7 Gm E7 O que não tem juízo
Composição: Chico BuarqueColaboração e revisão: Ruan Lourenço

Cifra Club Academy

O ensino de música que cabe no seu tempo e no seu bolso!

Quero conhecer os cursos
Cifra Club Pro

Entre para o
Cifra Club PRO

Tenha acesso a benefícios exclusivos no App e no Site

  • Chega de anúncios

  • Mais recursos no app do afinador

  • Desconto em nossos produtos

  • Entre outras vantagens...