A Ideia É Forte

Detentos do Rap

Se liga maluco, a idéia é forte
É o hip-hop
O vaso é ruim e pra quebrar tem que 
ser forte
Um dois três, favela toma conta 
outra vez
E o sistema que se prepare, pois 
somos a bola da vez
Me trancou na cela fria de um 
presídio
Fui zuado, maltratado, espancado 
como um bicho
Só que eu tô solto, com o microfone 
na mão
Detentos do rap tomando um drink com
 o cão
Na detenção, com os irmãos, era só o
 veneno
As feridas do meu passado ainda 
estão me corroendo, há
Mas tá valendo, tenho o poder da 
rima, eu sigo em frente
Consciente eu bato de frente com 
muita gente
Que teve a moral de falar que somos 
uma piada
Faltou com o respeito comigo, vai 
subir o morro na paulada
A nova formação mostra o que há de 
melhor
Porque a batida é pesada a levada 
invocada
E não é só
Nos completamos com o poder da 
informação
Não somos leigos por estar dentro da
 detenção
A idéia fluiu no meu barraco aos 
pedaços
Pobre injustiçado, mas eu nunca fui 
um fracasso
Há o cenário favela, meus manos que 
vivem nela
Na seqüela eu tô pronto pra guerra, 
há
Eu luto por ela
E eu passo um pano pros manos que 
defendem o hip-hop
Se liga maluco, que a idéia é forte
Deus

"eu fui do crime, mas hoje eu tô 
ligado que ele não compensa
Não com deus no pensamento
Mas ainda assim eu tô ligado quem 
ninguém tem o direito
De aprisionarar o pensamento
Por mais vadio que ele seja (a idéia
 é forte!)
Por mais vadio que ele seja"
A idéia é forte

O mano reco, o dj zartufa, passei 
pelas technics
A idéia é aperfeiçoada em 44 bits
Manos, firmeza, desacreditou que só 
lamento
A raiva está aqui dentro, eu tô 
pronto pro arrebento
Eu represento os maloqueiros da favela Não prestigio os governantes dessa terra Porque eu sou contra todo tipo de discriminação Por isso que eu não gosto de porra nenhuma Que passa na televisão Falando nisso, tem muitos manos que é do rap Que rima caneta com bombeta, aí, ladrão, esquece que O verdadeiro som não é assim que faz O verdadeiro som deixa só pra quem é capaz, no dom Um dois na bomba, eu respeito quem fuma Só que o som tinha que ser outro, era outro tipo de loucura Ensinar pros moleques a sabedoria de rua Parar de escrever besteira, porque a verdade é nua e crua Se não for por nós da favela tem que ser por deus Que está lá longe olhando pelos filhos seus Se vocês apóiam, não sei, eu deixo ao seu critério Mas eu não curto os manos que pintam o cabelo de amarelo Que vai na tv chorando, dizendo que foi da favela É ai que vocês se enganam, eles nunca fizeram parte dela Ladrão que é ladrão não chora, o homem que é homem não rebola Calma, só parou a trilha sonora A justiça é cega, mas ela nunca trabalhou Fernando henrique cardoso, mano, sempre viajou Em horário nobre sempre passou filme pornô Mas foi Facção Central e MV Bill que promotor censurou Pára, tá tudo errado, já é embaçado Hoje é o homem que rebola, é o homem que posa pelado É ponto pra televisão e seu ibope Um dia eu derrubo, ladrão, o globocop O crime, ele é podre (a idéia é forte) Mas ele nunca admitiu falha Nem jamais vai admitir (a idéia é forte) As grades podem aprisionar meu corpo, meu pai Até minha alma (a idéia é forte) Mas ela jamais vai aprisionar meu pensamento, jamais (a idéia é forte) Do outro lado é bem pior, presídio em forma de inferno Barulho nas grades e lá dentro o choro eterno Nas galerias frias eu parto pra cima Eu aqui dentro, os manos lá fora, e assim segue a sina Eu tento atravessar os portões, mas eu não consigo Eu quero sair daqui, eu quero vencer meus inimigos Eu vou Voltar pra rua, ter minha mulher e minha filha Quero ver o sol como um todo na minha vida Sem clima de tensão, sem expectativa Sem plano de fuga, eu quero a minha saída Detentos não contam com a sorte Seguimos bem longe da morte Dos homens da tropa de choque Roubei, mas não foi por ibope Na necessidade eu cai num mundão natural Me deparei com o mundo irreal A breja gelada, rolê de madrugada, os corpos na calçada Infelizmente tudo isso fez parte da balada Raciocine comigo e verás que a morte é preciso evitar Pense, deus voltará, o crime eu vou evitar Longe das arapucas criadas pelo sistema A idéia é forte, esse é o nosso lema Oh, senhor! (a idéia é forte) Invada a casa de detenção Derrame a sua unção, meu pai Abençoe aquele presidiário (a idéia é forte) Que já passou pelos corrós, até chegar nas celas frias (a idéia é forte) Ilumina a cabeça daquela senhora que no túmulo chora (a idéia é forte) Por ter perdido seus filhos pra as drogas, meu pai (a idéia é forte) Vá de encontro com o desespero daquele pai de família E mostre a ele que é preciso ter fé Pra sobreviver nessa campo de guerra (a idéia é forte) Obrigado, meu pai, por ter posto o rap nos nossos caminhos Pois somos resgatados pelo rap Porque o sistema não recupera ninguém E nunca vai recuperar Contamos, meu pai Mano reco, dj curina, rone e du reco Para que mude o pensamento dos guerreiros que nem nós Ensine a eles que não é necessário atropelar ninguém (a idéia é forte) Pois o poderoso é só ti meu pai... (a idéia é forte)
Composição: Colaboração e revisão:

Utilizamos cookies para personalizar sua experiência. Ao acessar o site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.