Tô Cansado (part. Santzu)

Froid

Vários corre pela rua eu nunca paro 
em casa
Prefiro marcar no prédio eu já morei
 na boca
Eu não dormia quase nunca tava 
sempre tenso
Gastei dinheiro com incenso pra 
urucubuca
Tava ficando louco eu juro, falei do
 manduca
Cê tem que falar com Aninha que as 
pessoas mudam
Mas não pela maneira que as pessoas 
lucram
E sim pela maneira que as pessoas 
julgam
Os olhos da cara mentem
Os homens no parlamento
Os homens no casamento
Os canos no vazamento
Homens na mão do aperto
Não é tão vilão de perto
Acertos que não dão certo
Apertos de mão são cegos
Amores também são cegos
Longe eu tô só pensando
Você me rouba um beijo
Amar é fundir o ego
Amor eu fodi com o resto
Amor eu tô tão cansado
Vamos fugir pro

Nós precisamos ir
Pois precisamos ir
Pois precisamos ir
(É a hora, eu sinto que é a hora)
Pois precisamos rir
(Sinto que é a hora, eu sinto que é 
a hora)
Nós precisamos ir
(Eu sinto que é a hora)
Pois precisamos rir
(Eu sinto que é a hora agora)
Nós precisamos ir
(Que é a hora, eu sinto que é a 
hora)
Pois precisamos rir
(Eu sinto que é a hora, eu sinto que
 é a hora)
Nós precisamos

Sujando um papel com os rabisco
A noite é fria eu não pisco
Arriscando a boa num disco
Na responsa sempre preciso
Não discuto, mano, eu dou riso
Doí na sua boca igual siso
Cara ouve tipo: Que isso? Vagabundo: Af, tá liso Grana vem eu só mentalizo Olha o sorriso Inimigo eu minimizo Não arrisco linhas pra geral aplaudir Faço o que eu gosto de ouvir Gravando essa track com batida old Talvez mais pra frente seja nós de Audi Wow, como você faz isso aí? É tipo merda, deixa sair Vem de dentro você sabe que Se perder é fato, só não pode cair Não deixa a peteca cair Pode falar merda eu não tô nem aí (Foda-se) Tô mais preocupado com detalhes Tipo o meu som tocar na sua playlist Pra mim tanto faz O importante são rhymes Boto armadilhas nas batidas Cê só lê frases Pra postar no face sem crase Desejo a ruína de quem faz isso Agora eu sei porque meu nome não sai da sua boca Cê tá lavando o rosto aonde a gente lava a rola Na escola quando os coleguinhas riram do bolsista Eu ri porque sabia: Adivinha quem roubou sua bolsa Eu já sabia exatamente a minha própria força Da onde eu vinha, eu não sei, mas eu ouvi a voz Que me dizia: Cala a boca, mas mantém a pose Eu esperei por essa vida minha vida toda O que não liberta prende Nós precisamos ir Operação valquíria Eu quero ver Django Livre Não quero ser de argila Não posso ser moldado Estou constrangendo artistas Estou concentrando os fatos Tudo na sua ferida Todos são tão salgados Fui pelas avenidas Fui recortando os carros Nada me cicatriza Nada mais me dá brisa Assalto uma drogaria Quero ferir o estado Quem é meu roteirista? Você tá demitido! Quero uma feminista Quem escreveu Donnie Darko? Quem mora aqui do lado Tá com o nome na lista Você foi descuidado Você foi descoberto Tá desclassificado Nós precisamos ir Você tá preparado? Ri pra mim, sou dentista Quero que se Oh, é o seguinte: É, tinha uma rima pra botar aqui, mas eu, infelizmente, não tive tempo de terminar. Tava cuidando do meu filhote Aproveitando o espaço pra mandar um abraço pro meu amigo Santzu, que sempre representa nas rhymes Essa é a mixtape o homem não para nunca Mixtape! O homem não para nunca! Demorô? Então vam'bora (Eu sinto que é a hora) (Eu sinto que é a hora agora) Ok! (Eu sinto que é a hora) (Eu sinto que é a hora) Já tá na hora vam'bora, rapaz (Eu sinto que é a hora) Bora, menino, bora homi, bora todo mundo (Eu sinto que é a hora agora) (Eu sinto que é a hora) A vovó, o titio, o papagaio, o periquito, vam'bora (Eu sinto que é a hora) Aproveitar o outro espaço aqui Vou chamar um outro amigo meu aqui, o Felipe Santzu E dizer que chegou a hora e tamo indo embora Tchau Tô indo embora mesmo hein? Eu tô indo hein É tchau! É tchau e bênção!
Composição: Caio / Chris / Cynthia Luz / Derek / Froid / John / Menestrel / Santzu / Zeca BaleiroColaboração e revisão: Aline Honorato

Utilizamos cookies para personalizar sua experiência. Ao acessar o site, você concorda com a nossa Política de Privacidade.