Esgotando o Cérebro

Maldita

Você mudou o meu nome
Você me matou
Você mudou minha identidade
Você me matou
Sugou minha vaidade
Você me matou
Apagou o meu passado
Você me matou


Você me matou, mas eu ainda estou vivo
Você me matou, mas eu ainda estou


Tem dias que a gente tá mal
Tem dias que são assim
Parece que não é real
Meus olhos estão derretendo
Minha língua está enrolando
Eu não me esqueço do veneno, toda vez que eu te vejo
Eu lembro do seu veneno


Você me matou, mas eu ainda estou vivo
Você me matou, mas eu ainda estou


Esgotando o cérebro, esgotando o cérebro
Esgotando o cérebro (você me matou)


Você me castigou
Me cuspiu do paraíso
Meu paraíso é perdido
Tem dias que são assim
Carne apodrecendo
Cuspindo as entranhas, carne merda e sangue
Meu corpo ardendo em chamas


Esgotando o cérebro, esgotando o cérebro


Eu lembro da primeira vez, quando eu te encontrei
Você me pensar que eu podia, me aperfeiçoar


E ser igual a você, um ser de luz
Mas a minha auréola é, de arame farpado


O meu destino foi negado, o meu batismo foi negado
A minha asa foi cortada, você é uma mentira, você é uma fantasia


Meu cérebro está esgotado

Composição: Letra: Erich Eichner / Música: VidautColaboração e revisão: Banda Maldita

Cifra Club Academy

O ensino de música que cabe no seu tempo e no seu bolso!

Quero conhecer os cursos
Cifra Club Pro

Entre para o
Cifra Club PRO

Tenha acesso a benefícios exclusivos no App e no Site

  • Chega de anúncios

  • Mais recursos no app do afinador

  • Desconto em nossos produtos

  • Entre outras vantagens...